Nações Unidas, 22 de Fevereiro de 2019

 

O ministro das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, destacou o apoio de cerca de 60 delegações da ONU que se uniram contra os ataques à soberania de um país, como está a acontecer agora na Venezuela.

Depois de se reunir com essa coligação, formada no âmbito das Nações Unidas, destacou que a sua missão é a defesa do direito internacional e os princípios da Carta da ONU. “Queremos defender a paz e o direito dos países à sua soberania.”

De facto, acrescentou, o grupo foi criado para se defender contra qualquer ataque desse tipo, embora agora estejamos a discutir as acções que podemos realizar na sede da ONU em Genebra e Nova Iorque, e também fora da organização multilateral.

“Estamos muito felizes pelo apoio que a Venezuela está a receber, no marco da defesa dos princípios fundamentais da ONU”, enfatizou.

“Hoje é a Venezuela, mas o presidente dos EUA, Donald Trump, já lançou ameaças contra Cuba e Nicarágua, e não podemos permitir que isso aconteça.”

 

 A Causa Operária TV entrevistou uma moradora de Caracas, capital da Venezuela, que denunciou que os manifestantes que fazem barricadas (guarimbas) em manifestações violentas contra o presidente legítimo Nicolás Maduro são pagos pelos partidos e organizações de direita que, por sua vez, são financiados pelo imperialismo.

“Temos conhecimento de que a direita paga 30 dólares por dia para que façam barricadas, matem e criem o caos em nosso bairro”, denunciou ao correspondente da COTV em Caracas, Caio Clímaco.
 

MEDICAMENTOS PARA A VENEZUELA ENVIADOS PELA CHINA E CUBA PARA FAZER FACE AO BOICOTE CRIMINOSO IMPOSTO PELO IMPERIALISMO YANKEE

Chegaram à Venezuela 933 toneladas de medicamentos precedentes de Cuba e China.

O ministro da saúde da Venezuela, Carlos Alvarado, comunicou a chegada de medicamentos e outros materiais médicos no total de 933 toneladas.   

O ministro informou que se encontram 64 contentores no porto de La Guaira com medicamentos e outros bens clínicos e que a sua entrega nos vários destinos estará concluída em uma semana.

O apoio da Venezuela foi reflectido novamente na segunda-feira em Caracas, durante uma reunião entre o presidente legítimo da nação, Nicolas Maduro, intelectuais nacionais e mais de 160 convidados internacionais de diferentes nações.

Autor: Ana Laura Palomino García

 

Foto: chancelaria venezuelana

 

O apoio à Venezuela reflectiu-se mais uma vez na segunda-feira em Caracas, durante um encontro entre o legítimo presidente da nação, Nicolás Maduro, com intelectuais nacionais e mais de 160 convidados internacionais de diferentes nações.

Durante o evento, realizado em homenagem aos "27 anos da histórica rebelião de Hugo Chávez", Maduro confirmou que estava aberto a um intercâmbio com a oposição. Ele também se manifestou contra as políticas do auto-intitulado Grupo de Lima e do Governo dos Estados Unidos, que estão a tentar provocar um golpe de Estado na nação sul-americana.

Na nova Carta Magna são as bases legais para o desenvolvimento do país e a essência do conceito de Revolução de Fidel.

Autor: Elba Salazar Cuba

Fevereiro de 2019

Foto: Endrys Correa Vaillant

 

A Magna Carta reflecte a tradição de 150 anos de luta pela soberania. 

Com a sua presença no dia 24 de Fevereiro nas urnas, o povo cubano ratificará a continuidade da Revolução e a vontade de proteger as conquistas sociais da Ilha; será este, além disso, o melhor tributo a José Martí, Fidel Castro e os heróis da Pátria, disse no sábado no município especial da Ilha da Juventude, Esteban Lazo Hernández, presidente da Assembleia Nacional do Poder Popular.