Considerando que a pandemia acabou carecendo de rigor epidemiológico, cientistas e especialistas cubanos concordam sobre o comportamento da doença no mundo

Foto: Revolution Studios

 

Em países que tiveram uma incidência muito baixa em dois anos, o número de casos está a disparar.

Cuba mantém controle sobre a pandemia de COVID-19; as previsões afirmam que assim continuará, no entanto, como não está e não pode ser encerrado numa “bolha”, continuará exposto ao que está a acontecer no mundo, é consenso da liderança do país e da comunidade científica nacional.

«Fiquem certos de que a Revolução Cubana jamais desistirá», disse o Presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, aos jornalistas, articuladores políticos de esquerda e especialistas em redes sociais (influenciadores) que participaram do Colóquio Internacional pelo 130º aniversário do jornal Pátria, fundado por José Martí

Foto: Tirada do Twitter da presidência

 

No Palácio da Revolução, Díaz-Canel recebeu os comunicadores no que ele queria ser e foi uma reunião informal e sincera para — segundo lhes disse —«agradecer-lhes pelo seu trabalho em defesa da verdade e de Cuba».

Durante esses dias, cerca de vinte activistas de redes sociais e outras plataformas multimídia e tradicionais de vários países reuniram-se na Casa das Américas, por ocasião do Dia da Imprensa Cubana, para debater os desafios da esquerda num mundo onde a hegemonia imperial no reino virtual e simbólico é esmagadora, mas que deve ser enfrentada.

Cuba continua a avançar, contra bloqueios, ataques e mentiras. Tentativas de cercar e isolar a Pátria falharam mais uma vez: aqui estão jornalistas, intelectuais, artistas e comunicadores de vários países reunidos no Colóquio Internacional Pátria organizado pela União dos Jornalistas Cubanos, realizado na Casa das Américas em Havana.

Foto: Ariel Cecilio Lemus

 

Mais uma vez, a solidariedade internacional e o compromisso expressam-se com Cuba, que enfrenta uma política de asfixia económica e de cerco da mídia liderada pelo governo dos Estados Unidos. A administração do presidente Joe Biden manteve as directrizes estabelecidas por seu predecessor, Donald Trump, salientando mais uma vez a dimensão bipartidária da política contra a Ilha.

 

O primeiro-ministro Manuel Marrero Cruz chefiou reunião de balanço de trabalho em 2021 do Instituto Nacional de Ordenamento do Território e Urbanismo

Foto: Estudios Revolución

 

O confronto com as ilegalidades urbanas tem de ser assumido como um sistema em que todos os factores interagem, porque pôr ordem e disciplina nesta matéria e no ordenamento do território é tarefa de todos, disse o membro do Bureau Político do Partido e primeiro-ministro, Manuel Marrero Cruz.

Este foi um dos pontos mais debatidos da assembleia de balanço de trabalho do ano de 2021 no novo Instituto Nacional de Ordenamento do Território e Urbanismo (Inotu), substituto do antigo Instituto de Planeamento Físico (IPF), e no qual participou a primeiro vice-ministra Inês Maria Chapman Waugh.

A condenação dos actos terroristas no mundo e dos patrocinados pelos Estados Unidos, fez a embaixadora cubana Mirthia Julia Brossard, no seu discurso na 49ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, que se reúne em Genebra, na Suíça.

A diplomata fez referência à toxicidade e ao ódio praticados em plataformas digitais e redes sociais por grupos sediados no estado da Flórida, no sul, que invocam agressões armadas contra a Ilha Maior das Antilhas. «Reiteramos a denúncia dos ataques terroristas cometidos contra nossas embaixadas em Washington e Paris, em 2020 e 2021», disse, citada pela Prensa Latina.