A abertura não tem retrocessos, disse o primeiro-ministro, embora tenha significado que o desafio é grande e envolve uma participação crescente da indústria nacional e de outros gestores para resolver os problemas associados ao bom funcionamento das instalações

VARADERO, Matanzas

 

VARADERO, Matanzas.— O primeiro-ministro da República de Cuba, Manuel Marrero Cruz, avaliou a retorno da atividade turística no país como muito importante para a economia cubana, essencialmente pela sua capacidade de fomentar os demais setores.

«O turismo é uma prioridade, daí a necessidade de reativar essa gestão vital, independentemente das nossas dificuldades financeiras», garantiu durante uma reunião realizada no sábado, 2 de Outubro, no balneário de Varadero com o objetivo de examinar os preparativos do polo de Matanzas para o próximo dia 15 de Novembro, quando vão se abrir gradualmente as fronteiras de Cuba.

A reunião também contou com a presença de Inés María Chapman Waugh, vice-primeira-ministra, e titulares de seis pastas, bem como das máximas autoridades da província e executivos nacionais e territoriais.

O também membro do Bureau Político referiu que para se conseguir estabilidade no início das operações e face aos pedidos crescentes dos diversos mercados emissores é necessário fazer coisas diferentes e promover iniciativas.

«Não podemos ficar passivos diante de tanta concorrência, temos que inovar e buscar novas formas de marketing, inclusive por meio da internet», comentou Marrero, após realçar que o maior desafio é oferecer um serviço de qualidade, que se estenda à rede extra-hoteleira.

Explicou que a principal batalha devemos travá-la na eficiência e na cultura do detalhe, pois temos outros benefícios, como a beleza das nossas praias, a cultura e um povo simpático e culto.

Ponderou sobre a contribuição dos fornecedores em geral e de todos aqueles que de uma forma ou de outra participam do bem-estar da chamada indústria do lazer, e nesse sentido destacou que todos participam da concepção do produto turístico.

Apesar de apresentar limitações neste momento com alguns recursos e outros bens, mostrou-se otimista e afirmou que a abertura não tem volta, embora significasse que o desafio é grande e envolve uma participação crescente da indústria nacional e de outros gestores para resolver problemas associados ao bom funcionamento das instalações.

José Ángel Portal Miranda, ministro da Saúde, destacou o papel do pessoal médico na nova conjuntura, o alcance dos protocolos sanitários em hotéis e aeroportos, e anunciou que, como medida adicional, os trabalhadores do setor do turismo vão receber uma dose da vacina de reforço, algo de indiscutível valor para eles e sua família, destacou por sua vez Marrero Cruz.

O primeiro-ministro avaliou também o andamento do ordenamento do território e do enfrentamento às ilegalidades, tanto em Varadero como no território meridional de Ciénaga de Zapata, e apelou a mais vigilância e ordem em todo o panorama turístico.

Para encontrar o maior apoio possível à causa do turismo cubano, Manuel Marrero também se reuniu com representantes de redes estrangeiras que operam em Cuba e com presidentes de grupos hoteleiros.

 

Fonte: Granma

Outubro, 2021