Instituto Cubano da Música (ICM) desenvolverá a Semana da Canção até ao dia 25 deste mês.

 

Na continuação da celebração dos aniversários dos 55 do primeiro Festival Internacional da Canção de Protesto, e dos 50 anos de la Fundación do Movimento da Nova Trova, o Instituto Cubano da Música (ICM) desenvolverá a Semana da Canção, até ao dia 25 de este mês, «para aprofundar desde a música na construção de um novo país, e para que a linguagem da canção se fortaleça», segundo deu a conhecer a instituição.

Durante a jornada, que se levará a cabo em todo o país, as empresas provinciais de música e os espetáculos organizarão numerosas atividades, e as bandas de concerto apresentar-se-ão nos seus espaços habituais para oferecer um variado reportório com temas da trova tradicional, origem fundadora do que hoje se chama NUEVA TROVA e do movimento conhecido como os Novíssimos.

Nesses dias, a canção trovadoresca inundará as comunidades, onde reinará o verso e a boa música, incluída a canção revolucionária.

Em La Habana, o Pabellón Cuba abrirá uma vez mais as suas portas ao espaço Tres Tazas, que tem como anfitrião o trovador Silvio Alejandro, em La Pérgola, por onde passarão cada día reconhecidos cantores do género.

A Casa das Américas, baluarte fundamental no surgimento e desenvolvimento do Movimento de la Nueva Trova, e onde se levou a cabo o primeiro Festival Internacional da Canção de Protesto em Cuba, no dia 23, na Sala Che Guevara escutar-se-ão as vozes de vários interpretes. Em uníssono, no Parque El Quijote, no Vedado, estarão Raúl Torres e o seu grupo, junto aos seus convidados.

Noutros sítios poder-se-á desfrutar de representantes deste importante movimento cultural cubano dentro da Revolução, serão o Pátio Areíto, de Egrem, no Centro Habana; na Casa de ALBA; na Fábrica de Trova em Guayabera, em Alamar, e na Fábrica de Arte Cubana.

FONTE: Granma

Setembro, 2022