Apesar da esmagadora maioria do apoio mundial a Cuba pelo fim do bloqueio, o governo norte-americano ignorou estes resultados, demonstrando, assim, o seu isolamento e descrédito.

 

Por ser uma política genocida que viola os direitos humanos e os princípios de respeito à autodeterminação dos povos, Cuba apresentará, em 2 e 3 de novembro, pela trigésima vez, perante a Assembleia Geral da ONU, o projeto de resolução para acabar com o bloqueio.

Este anúncio foi feito por Bruno Rodríguez Parrilla, Ministro das Relações Exteriores de Cuba, que denunciou que os prejuízos económicos do bloqueio totalizaram 6,3 bilhões (6.364.000.000) de dólares somente nos primeiros 14 meses do atual governo dos Estados Unidos.

«Tem sido uma política fracassada no objetivo de subverter a ordem constitucional em Cuba, mas causa escassez, dor e sofrimento injustificável às famílias cubanas, ao limitar o acesso a alimentos, medicamentos, combustível e outras necessidades básicas», disse o Ministro das Relações Exteriores.

«Os Estados Unidos ignoram o esmagador protesto internacional contra a sua política em relação a Cuba, aprofundando assim o seu isolamento e descrédito aos olhos do mundo», observou Rodríguez Parrilla, sublinhando que o bloqueio é acompanhado de campanhas de desestabilização política e desinformação do povo.

FONTE: Granma

Setembro, 2022