A estação de televisão norte-americana Univision «consultou» o Sumo Pontífice para ouvir suas opiniões, um ano após as tentativas de desestabilização de 11 de julho de 2021 em Cuba. No entanto, as respostas de Sua Santidade foram de apoio ao governo e ao povo cubano.

 

Foto: alfayomega.es 

«Eu amo muito o povo cubano. Tive boas relações humanas com o povo cubano e também confesso: com Raúl Castro tenho uma relação humana», disse o Papa Francisco em uma entrevista à emissora de televisão Univisión.

As suas palavras a favor da Ilha suscitaram bastantes reações de solidariedade e, também, comentários entre os detratores da Revolução Cubana.

A comunicação social norte-americana «consultou» o Sumo Pontífice para ouvir sua opinião, um ano após as tentativas de desestabilização de 11 de julho de 2021 em Cuba. No entanto, as respostas de Sua Santidade foram de apoio ao governo e ao povo cubano.

«Cuba é um símbolo. Cuba tem uma grande história. Sinto-me muito próximo, mesmo dos bispos cubanos», confirmou a figura religiosa argentina.

Em relação à normalização das relações entre a Ilha maior das Antilhas e os EUA, disse: «Fiquei feliz quando aquele pequeno acordo foi alcançado com os Estados Unidos, que o presidente Obama queria na época e Raúl Castro aceitou, e foi um bom passo em frente, que agora parou». E acrescentou que atualmente há conversações exploratórias em andamento para preencher a lacuna entre as duas nações.

Depois de ser questionado sobre a imprensa descrevendo-o como «comunista», criticou as tendências de certos grupos da comunicação social que são «muito ideologizados, que se dedicam a ideologizar a posição dos outros».