"Não reconhecemos a nenhum país o direito de se proclamar policial ou garantidor da liberdade religiosa no mundo, nem de emitir certificados ou listas unilaterais"

Foto: Prensa Latina

 

Uma resolução apresentada por Cuba sobre direitos humanos e solidariedade internacional foi aprovada por maioria de votos (31 a favor, 15 contra e uma abstenção) no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), no marco da sua 50ª Reunião Ordinária, em Genebra, Suíça.

Conforme detalhado pelo Itamaraty, anteriormente, representantes cubanos, perante a ONU, denunciaram as massivas operações de desinformação, coordenadas e financiadas pelos centros de inteligência e poder político dos Estados Unidos desde o triunfo da Revolução. Eles também pediram o fim da manipulação política das liberdades de religião e crença.

"Não reconhecemos o direito de nenhum país se proclamar policial ou garantidor da liberdade religiosa no mundo, nem de emitir certificados ou listas unilaterais, cujo único resultado é prejudicar a cooperação internacional e promover a desinformação", diz o comunicado do oficiais da Grande das Antilhas.