O governo está a procurar por todos os meios acelerar os processos de negociação tecnológica e de combustível, para que a estabilidade do sistema elétrico nacional seja alcançada no menor tempo possível.

O país não conseguiu ter o financiamento oportuno e necessário para realizar os trabalhos de manutenção pendentes, e foi necessário adiá-los num grupo de usinas. 

«As avarias e a manutenção necessária que tiveram que ser realizadas nas usinas de geração de energia térmica, bem como o déficit na disponibilidade de combustível, são as causas fundamentais que levaram à instabilidade que é evidente no Sistema Elétrico Nacional (SEN)».

Isto foi declarado pelo Presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, durante a reunião do Conselho de Ministros que ocorreu na quarta-feira, 25 de maio, ao explicar a complexa situação da geração de eletricidade que o país está a viver nestes dias, com o consequente desconforto que causa na população e a paralisação de uma parte importante da atividade económica.

Além deste cenário, o líder cubano comentou outras realidades que afetam a vida do povo cubano e estão associadas à intensificação do bloqueio económico, comercial e financeiro imposto pelo governo dos Estados Unidos e as medidas aplicadas pela administração do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

«Que estas coisas estejam acontecendo, que nossa economia esteja sendo afetada, que nossa população esteja sendo afetada», refletiu, «mostra quão perversa é a política de bloqueio, e também demonstra os dois pesos e duas medidas da política do governo dos EUA, quando diz que fará todo o possível para que o povo cubano tenha melhores chances de vida».

Além desta realidade, destacou, «houve também a coincidência de muitas destas avarias em um curto período de tempo, fazendo com que várias usinas ficassem fora de serviço ao mesmo tempo».

«Nos últimos días», disse, «este cenário foi agravado por falta de combustível disponível, que causou apagões irritantes, quase o dia todo, no país. Não temos combustível suficiente disponível para gerar com as estações de reserva — em outras palavras, com a geração distribuída — porque temos o combustível para gerar com as estações térmicas, mas se estas ficarem fora de serviço há um deficit e este tem que ser coberto com geração distribuída», disse.

«Se uma parte significativa desta geração distribuída funciona com diesel», explicou, «e não temos esse combustível, então mesmo que tenhamos os geradores para cobrir o deficit de energia, não podemos fornecer o serviço».

Fonte: Granma

https://pt.granma.cu/cuba/2022-05-26/presidente-diaz-canel-assegura-que-se-trabalha-incansavelmente-para-estabilizar-a-situacao-energetica