Considerando que a pandemia acabou carecendo de rigor epidemiológico, cientistas e especialistas cubanos concordam sobre o comportamento da doença no mundo

Foto: Revolution Studios

 

Em países que tiveram uma incidência muito baixa em dois anos, o número de casos está a disparar.

Cuba mantém controle sobre a pandemia de COVID-19; as previsões afirmam que assim continuará, no entanto, como não está e não pode ser encerrado numa “bolha”, continuará exposto ao que está a acontecer no mundo, é consenso da liderança do país e da comunidade científica nacional.

Nesta terça-feira, dia 22, cientistas e especialistas que participam de actividades de ciência e inovação tecnológica na luta contra o coronavírus realizaram um novo encontro com o Presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, e o Primeiro-Ministro, Manuel Marrero Cruz.

Doutor em Ciências Pedro Más Bermejo, vice-presidente da Sociedade Cubana de Higiene e Epidemiologia, ofereceu uma análise retumbante do comportamento global da pandemia. Falando pelos seus colegas, ele explicou que:

  • considerar o fim da pandemia carece de rigor epidemiológico; Não podemos falar de imunidade de rebanho, porque isso não determinará o desaparecimento do vírus SARS-COV-2;
  • as vacinas atuais não são esterilizantes, protegem contra gravidade e morte; mas não por contágio;
  • em países que tiveram uma incidência muito baixa por dois anos, o número de casos está "a disparar.
  • nos países onde as restrições foram eliminadas, observam-se altos níveis de incidência;
  • cresce a preocupação com as novas variantes do vírus e com a diminuição da imunidade;
  • a estratégia “zero” do COVID-19 acabou sendo uma miragem, como era a imunidade de rebanho na época; um cenário com variantes mais contagiosas e vacinas menos eficazes é possível.

Diante de uma situação como a descrita, totalmente real, e das ameaças que ela representa, o Doutor em Ciências Más Bermejo destacou que o critério de nossos especialistas e cientistas é:

  • Que a população cubana deve manter o uso da máscara e outras medidas, conforme indicado pela liderança do país, de acordo com as recomendações da autoridade sanitária.
  • Que as acções de vigilância epidemiológica sejam intensificadas nos grupos de risco nos territórios mais afectados.
  • Que é necessário manter o controle dos casos e internamentos para evitar atingir um padrão de transmissão comunitária.
  • Que os estudos sobre as nossas vacinas devem ser concluídos para avaliar a necessidade de uma segunda dose de reforço.

 

Com a participação da Vice-Primeira Ministra Inés María Chapman Waugh e do Ministro da Saúde Pública, Dr. José Angel Portal Miranda, o encontro com cientistas e especialistas começou com a habitual actualização dos modelos de previsão COVID-19, pelo médico em Ciências Raúl Guinovart Díaz, reitor da Faculdade de Matemática e Computação da Universidade de Havana.

 

Fonte: Granma

Março, 2022