Imprimir
Categoria: Notícias de Imprensa

A detecção pré-natal de cardiopatias congénitas complexas em Cuba ultrapassa os 85%, cifra que adquire um alto valor para os bebés que necessitam duma intervenção imediata após o nascimento.

Segundo o sítio oficial do Ministério da Saúde Pública (MINSAP), em cada 1.000 neonatos na Ilha, dois ou três deles padecem de anomalia cardíaca, o que representa um número aproximado de 300 casos anuais.

É referido também que os avanços tecnológicos favoreceram o incremento dos índices de diagnóstico pré-natal e pós-natal no país, o que permite que a anomalia seja detectada na gravidez.

O MINSAP informa que os sintomas e as possíveis complicações da enfermidade também determinam que 50% dos nascidos com ela necessitem de algum tipo de intervenção nos primeiros meses de vida.

Dificuldade em respirar, de se alimentar, ganhar peso; a coloração da pele, língua e unhas, e suores inusuais, são alguns dos sinais que podem indicar uma cardiopatia congénita.

Embora a maioria destas afecções congénitas não possa prevenir-se, recomenda-se reduzir o risco de padecer disso com gravidezes planeadas para idades adequadas, consumo de ácido fólico, evitar ingerir bebidas alcoólicas, fumar ou consumir outro tipo de drogas, manter uma dieta sã e equilibrada, compensando as enfermidades crónicas não transmissíveis

Autor: Daniela Leyva Fernández | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.