O banco holandês ING aderiu ao bloqueio econômico, comercial e financeiro que os Estados Unidos mantêm contra Cuba há mais de 60 anos

Foto: Imagem tirada de alamy.es

 

Uma campanha de angariação de fundos para financiar a viagem a Cuba de uma delegação da Internacional Progressista que se deslocaria a Havana para apoiar o acesso gratuito as vacinas contra a COVID-19, promovida a partir da Ilha, foi bloqueada pelo banco holandês ING.

Por meio de um comunicado enviado à Prensa Latina, a organização solidária, que reúne ativistas de esquerda de todo o mundo, denunciou que a instituição bancária multinacional, com sede nos Países Baixos, cedeu ao bloqueio económico, comercial e financeiro que mantém os Estados contra Cuba há mais de 60 anos.

A Internacional Progressista promove, para o dia 25 de janeiro, a realização de um evento que forma parte da União para o Internacionalismo das Vacinas, que contará com a presença de cientistas, ministros e funcionários da Saúde Pública.

No entanto, depois do ocorrido com o banco holandês, o próprio grupo garantiu que os planos para a realização do encontro em Havana permanecem inalterados.

Autor: Redação Internacional | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Janeiro, 2022