Os especialistas cubanos consideram que o país está controlando a epidemia da Covid-19 e que entrou num patamar de casos diários e começará a declinar nas próximas semanas, de acordo com o expressado numa reunião com o presidente da República

 

Foto: Estudios Revolución

 

Os matemáticos e epidemiologistas cubanos estimam que o país poderia estar a entrar no auge da actual onda de infecções da Covid-19, de acordo com modelos de previsão apresentados na terça-feira, 18 de janeiro, durante a reunião semanal do primeiro secretário e presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, com especialistas do ministério da Saúde Pública (Minsap) que vêm guiando a ciência e a inovação tecnológica na luta contra o coronavírus, durante quase dois anos.

O reitor da Faculdade de Matemática e Informática da Universidade de Havana, Raúl Guinovart Díaz, considerou que as previsões são mais animadoras do que nas semanas anteriores, embora ainda seja uma situação complexa.

Embora tenha reconhecido que a questão dos modelos pode ser controversa, apontou que estão indicando que estamos entrando no auge da atual onda de contágio, e que ela vai diminuir depois.

Díaz-Canel comentou que, comparado ao que está acontecendo no mundo após a disseminação da variante Omicron, o crescimento dos casos em Cuba tem sido mais lento, a inclinação tem sido mais branda. Durante vários dias, lembrou, «mantivemos entre 3.000 e 3.500 casos por dia, quando outras previsões deveríamos ter mais de 6.000 pessoas doentes por dia».

Fonte: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Janeiro, 2022