Atendendo à configuração geográfica de Cuba e à ausência de grandes e caudalosos rios, ao que se juntam os extensos períodos de seca que afectam várias regiões, tem especial significado para o país o adequado emprego dos recursos hídricos com que contamos.

 

Num ano complexo devido ao déficit de financiamento líquido e ao recrudescimento do bloqueio económico, comercial e financeiro do Governo dos EUA contra Cuba, o Instituto Nacional de Recursos Hidráulicos (INRH) desenvolveu um plano de investimentos e de manutenção, graças ao qual, até Novembro de 2021, 64.575 pessoas foram favorecidas pela primeira vez com o serviço de água canalizada, e 8.828 com novos serviços de saneamento.

 

Assim o destacou Denis Moreno Ríos, especialista principal da Direcção de Infra-estruturas e Inversões do INRH, que explicou que, das 468 obras hidráulicas previstas serem realizadas no ano, 310 estavam já concluídas em Novembro.

Informou que em Havana tinham sido instalados 11.645 metro-contadores enquanto, a nível do país, entre as principais obras terminadas, se encontram as redes e condutas zonas-bajas Santa María del Mar, o assentamento Río Frío, em Guantánamo, e a comunidade Las Catalinas, em Las Tunas.

COMO FOI EM CUBA A SITUAÇÃO HIDROMETEOROLÓGICA DURANTE 2021?

Dizer apenas que, de Janeiro a Novembro de 2021, a situação da quantidade de chuva não foi favorável não dá ideia da verdadeira magnitude deste problema.

De acordo com as estadísticas do INRH, a precipitação no país nesse período foi apenas de 1.102 milímetros (mm), ou seja, 85% da média histórica.

Para além daquilo que os números indicam, essa percentagem representa um dos dez níveis de precipitação entre Janeiro e Novembro mais baixos nos 120 anos de que temos registo da chuva no país. Há somente outros oito que são inferiores a esse, informou o máster em Ciências Argelio Omar Fernández Richelme, director de Hidrologia e Hidrogeologia do INRH.

Una rápida olhadela para o comportamento recente das precipitações revela que 2020 fechou com muito boa disponibilidade de água nas barragens da Ilha. Graças a isso, nos primeiros cinco meses de 2021 não se sentiu o déficit de chuva.

Nos meses de Junho, Julho, Agosto e Setembro houve alguma recuperação dos acumulados; Outubro não foi tão favorável, enquanto que os meses do período seco seguinte 2021-2022 já começaram a mostrar a tendência para um episódio de seca.

DEZEMBRO SEM CHUVA

Nas duas primeiras semanas do último mês do ano o panorama não foi esperançoso. Pese embora ser o mês em que menos chove, só caíram 25 % da média: apenas 9,6 mm.

Em todas as províncias diminuiu o armazenamento de água. Das 242 barragens com que o país conta, 194 apresentavam baixa do nível da água. Em 14 de Dezembro, o volume de água nas barragens, a nível nacional, era de apenas de 61 % da capacidade de armazenamento.

Em matéria de águas subterrâneas, 90 lençóis freáticos estavam em estado normal, sete em estado desfavorável e um em estado crítico.

Fonte: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Janeiro, 2022