Cuba está em primeiro lugar na América Latina e em segundo no mundo em termos de imunização contra a infecção, superada apenas globalmente pelos Emirados Árabes Unidos, de acordo com o site Nosso Mundo em Dados

Foto: Ariel Cecilio Lemus

 

Com uma taxa de 0,9% de casos fatais associados à Covid-19, Cuba tem a menor taxa deste tipo nas Américas, de acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

A fonte, citada pela Prensa Latina, disse que o Peru (8,6), México (7,6) e Equador (6,3) têm as taxas mais altas.

Desde Outubro passado, acrescenta a agência, tem havido evidências de controle da doença, com uma redução significativa nos casos diários, mortes e hospitalizações que, segundo os especialistas, é um reflexo do progresso da campanha de vacinação em massa a partir dos dois anos de idade, com imunogénicos produzidos em Cuba.

Até o dia 24 deste mês, 29.769.267 doses das vacinas Soberana 02 e Soberana Plus, projectadas pelo Instituto Finlay de Vacinas (IFV), e Abdala, esta última do Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB), haviam sido administradas no país.

O cronograma completo de vacinação atingiu 9,5 milhões (9 .597.707) de pessoas, o que representa 85,8% da população, e 10,3 milhões (10.393.893) cidadãos têm pelo menos uma injecção, o que inclui aqueles vacinados com Soberana Plus como dose única, informou o Ministério da Saúde Pública (Minsap).

Uma segunda dose foi administrada a 9,2 milhões (9.294.404) de cubanos e uma terceira a 8,9 milhões (8.917.612).

A estratégia com a dose de reforço contra o coronavírus SARS-COV-2, que causa a Covid-19, já teve impacto num total de 1,1 milhão (1.163.358) de pessoas, das quais 82.284 fazem parte do estudo clínico, e 1,08 milhão (1.081.074) pertencem a territórios e grupos de risco seleccionados.

 

Fonte: Granma

Dezembro, 2021