Estimados companheiros e amigos,

 

A campanha lançada para ajuda à reconstrução de Havana velha encerrou a 31 de Julho como estava previsto.

O resultado da mesma atingiu a importância de 3.155 €, verba que vai ser transferida de imediato.

 

Foto: Granma

 

Coragem!

 

Na zona industrial de Matanzas, a luta não pára. Após cada retirada tática há um novo avanço, para cavar trincheiras que impeçam a passagem de combustível, para resfriar as superfícies, para avaliar danos e riscos.

 

Como é do conhecimento de quem acompanha a difícil situação que Cuba e consequentemente o seu povo vive por força do criminoso e injusto bloqueio imposto pelo governo dos EUA, agravado com o trágico acidente nos depósitos de combustível em Matanzas, que já provocou dezenas de vítimas, não podemos deixar de nos sensibilizar com mais este infortúnio e, neste sentido, decidimos manter em aberto a recolha de donativos para apoio a esta tragédia.

 

Toda a ajuda deve ser efetuada por transferência bancária para o NIB :

0033 0000 0058 0164 1169 7

 

Solicitamos nos informem através do nosso endereço eletrónico “ Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.” de que o donativo foi concretizado.

 

CUBA NÃO ESTÁ SÓ!

SEMPRE SOLIDÁRIOS COM O POVO CUBANO!

CUBA VENCERÁ!

09.08.2022

Ao Instituto Cubano de Amizade com os Povos,

 

Estimados companheiros,

 

Foi com enorme constrangimento que tomámos conhecimento da brutal ocorrência nos depósitos de combustível em Matanzas.

Queremos manifestar a nossa profunda tristeza por esta dramática ocorrência e apresentar as nossas condolências aos familiares

das vítimas, bem como ao Governo Revolucionário.

Manifestamos a nossa solidariedade ao heroico povo cubano e desenvolveremos iniciativas no sentido de materializar o apoio

à grave situação criada por tão brutal sinistro.

 

FORÇA MATANÇAS!

CUBA NÃO ESTÁ SÓ!

CUBA VENCERÁ!

 

Direção da Associação de Amizade Portugal Cuba

Lisboa, 8/8/2022                                                                            

 

Se não conseguir visualizar, clique aqui.

 

 

Em 1953, Cuba estava sob uma ditadura imposta por Fulgêncio Batista e apoiada pelo governo norte-americano. Inconformado com isso, Fidel Castro deu início a um movimento revolucionário contra esse governo. Raúl Castro decidiu seguir os passos do irmão e juntou-se nesse desafio.

A primeira ação desse grupo revolucionário foi realizar um ataque contra o Quartel de Moncada, que ficava na cidade de Santiago de Cuba. O grupo, que realizou o ataque, era formado por aproximadamente 160 homens. Raúl não tomou parte do grupo principal, que atacou o quartel, sendo colocado no segundo grupo, que tinha como função tomar o controle do Palácio de Justiça.

O ataque ao quartel fracassou e o grupo que estava no Palácio de Justiça fugiu. Raúl Castro acabou sendo preso poucos dias depois e foi condenado a 13 anos de prisão. Entretanto, 22 meses depois, o governo de Fulgêncio começou a promover uma amnistia entre os presos políticos.

Isso beneficiou Raúl Castro e seu irmão, Fidel, que foram libertados. Eles deixaram Cuba pelo risco que suas vidas corriam e decidiram exilar-se no México. Lá Fidel Castro liderou a formação do Movimento 26 de Julho e começou a planear o retorno a Cuba para derrubar Fulgêncio Batista.

 

Se não conseguir visualizar, clique aqui.