Moção contra o Bloqueio a Cuba apresentada e aprovada por unanimidade, na Assembleia Geral Electiva de 3 de Março de 2018

 

Considerando que o Bloqueio a Cuba dura há 58 anos, apesar das sucessivas condenações do mesmo na Assembleia Geral da ONU , constitui uma violação dos direitos humanos e, pela sua natureza extraterritorial, limita a soberania de Estados terceiros, afectando mesmo interesses económicos de empresas nacionais;

Considerando que, apenas no período entre Abril de 2016 e Junho de 2017 se estima em 4 305 milhões de dólares o prejuízo causado pelo bloqueio, com efeitos nocivos na alimentação, agricultura ,saúde, educação e turismo;

Considerando que , com o objectivo confessado de satisfazer os interesses económicos dos sectores extremistas de Miami , acabar com a soberania de Cuba e de toda a América Latina ,ressuscitando a Doutrina Monroe, o Presidente Trump tomou medidas de endurecimento do bloqueio, restringindo as visitas de norte-americanos a Cuba, proibindo o comércio com empresas de sector estatal cubano que constituem 60% da economia cubana;

Considerando que, até agora, apenas 11 Estados Europeus ratificaram o Acordo de Diálogo e Cooperação entre Cuba e a União Europeia, sendo que Portugal ainda não assinou o documento;

Nos cidadãos portugueses reunidos em Assembleia Geral da Associação de Amizade Portugal-Cuba, manifestamos a nossa solidariedade com o povo cubano e o nosso compromisso de lutarmos pelo fim do bloqueio a Cuba e consideramos que o governo português deverá proceder à assinatura do ADCC.

Lisboa, 3 de Março de 2018