O nosso país não lança bombas contra outros povos, nem manda milhares de aviões a bombardear cidades; o nosso país não possui armas nucleares, nem armas químicas, nem armas biológicas. Os milhares de cientistas e médicos com que conta o nosso país foram educados na ideia de salvar vidas. Estaria em absoluta contradição com a sua concepção pôr um cientista ou um médico a produzir substâncias, bactérias ou vírus capazes de produzir a morte a outros seres humanos

Autor: Fidel Castro Ruz | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Março, 2020

 

 

Eu penso – porque sou optimista– que este mundo pode ser salvo, apesar dos erros cometidos, apesar dos poderes imensos e unilaterais que foram criados, porque acredito na preeminência das ideias sobre a força. (…)

O nosso país não lança bombas contra outros povos, nem manda milhares de aviões a bombardear cidades; o nosso país não possui armas nucleares, nem armas químicas, nem armas biológicas. Os milhares de cientistas e médicos com que conta o nosso país foram educados na ideia de salvar vidas. Estaria em absoluta contradição com a sua concepção pôr um cientista ou um médico a produzir substâncias, bactérias ou vírus capazes de produzir a morte a outros seres humanos.

Peço-lhe, caro companheiro Díaz-Canel, que transmita aos cubanos e cubanas, especialmente aos cientistas e profissionais que estão nesta dura luta pela vida em todo o mundo, o reconhecimento, a admiração e a gratidão do povo brasileiro. Estaremos juntos, sempre, até à vitória

Autor: Luiz Inácio Lula da Silva | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Março, 2020

Foto: Granma

São Bernardo do Campo, SP Brasil

23 de Março de 2020

 

Caro Miguel Díaz-Canel,

Presidente da República de Cuba

Estou a escrever para falar sobre a emoção que senti quando vi a imagem dos médicos cubanos chegados a Itália, para ajudar as vítimas da pandemia de coronavírus naquele país.

Mais uma vez, o governo e o povo de Cuba dão ao mundo um exemplo de solidariedade, superando todas as barreiras, sejam de natureza económica, geográfica ou política.

É em momentos de crise que encontramos os verdadeiramente grandes. E nessas horas as pessoas daquela ilha são sempre gigantescas diante do mundo. A solidariedade activa, militante e revolucionária de Cuba já foi evidente em várias partes do planeta, numa resposta altiva e soberana àqueles que tentam impor o bloqueio económico e o isolamento político.

O povo brasileiro ficará eternamente grato pelo papel que desempenhou no nosso programa Mais Médicos, numa cooperação que salvou inúmeras vidas e ensinou muito aos nossos próprios profissionais de saúde.

O nosso povo conscientizou-se nos últimos dias e vem agindo de maneira diferente. No entanto, ressaltou o presidente, neste final de semana, ainda havia pessoas nas ruas, filas sem manter a distância necessária e vendas em massa de produtos nas lojas

Autor: Leticia Martínez Hernández | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Março, 2020

Foto: Estúdio Revolución

 

O presidente reiterou a atenção diferenciada que devem receber os idosos que estão nos lares e casas dos avós e os que moram sozinhos 

 

O presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, exigiu na segunda-feira, 23 de Março, que todos os cubanos tenham maior responsabilidade no confronto com o Covid-19 — que já contabiliza 40 casos confirmados na ilha — e que requer «do comprometimento das instituições, da família e dos cidadãos em geral».

Numa troca por videoconferência com as mais altas autoridades das províncias e do município especial Isla de la Juventud, o presidente explicou que o país não está numa bolha, «o novo coronavírus está vir na nossa direção e está a fazer isso numa velocidade exponencial». Por esse motivo, acrescentou, «a primeira coisa a conseguir é que as pessoas tenham uma percepção desse risco, para que ajam com responsabilidade».

Um grupo amplo de novas medidas para proteger o povo, e na trilha do Plano de Prevenção e Controle para o confronto ao Covid-19, mostraram a preparação e a profundidade de análise em cada uma das decisões a favor da vida dos cubanos

Autor: Granma | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Março, 2020

Foto: Estudio Revolución

 

Temos a nosso favor um sistema de saúde pública (...), um Partido e um Governo, que coloca os cubanos no centro de suas atenções. 

 

1- Todos os residentes cubanos que retornem ao país cumprirão isolamento por 14 dias, em centros habilitados.

2- É preciso dar muita informação ao viajante que esteja chegar a Cuba, desinfetar aviões, locais e bagagens. Os viajantes serão levados diretamente para centros de isolamento, em autocarros selecionados e controlados pela Polícia.

3- Não serão permitidas as concentrações de familiares nos aeroportos.

4- Os passageiros que retornem a Cuba só poderão trazer uma mala de mão e outra mala, a fim de tornar mais rápidas as operações nos aeroportos e nos locais de isolamento.

5- Será regulada a saída do país dos cubanos, com o propósito de cuidar da sua saúde e a das suas famílias. Somente serão autorizadas por causas humanitárias ou outras razões de peso maior.

6- Os turistas que ainda permanecem nos hotéis também estão em quarentena e é proibida a saída dessas instalações. Ainda, serão transferidos para os centros turísticos os visitantes que permanecem em casas de aluguer.

7- Suspendem-se as excursões a cidades, locais históricos, culturais e de natureza, bem como o aluguer de automóveis de turismo.

Cuba toma as medidas segundo o que previu com antecedência no Plano de Prevenção e Controle, que conta com um sistema saúde que demonstrou eficiência e com a participação e responsabilidade de todas as esferas da sociedade, na qual o povo é destinatário é actor principal

Autor: Granma | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Março, 2020

O jornal Granma disponibiliza aos seus leitores as forças quantitativas de um sistema de saúde pública gratuito, criado pela Revolução, que sempre teve a vida no centro de sua defesa. Também se lembra de várias das medidas anunciadas pelo presidente da República, Miguel Díaz-Canel, como parte da intensificação do Plano de Prevenção e Controle contra o Covid-19 em Cuba.

Entre as estabelecidas está o regulamento de entrada através das fronteiras do país, com autorização apenas para a entrada de residentes em Cuba, embora haja flexibilidade para garantir a cooperação com outros países.

O presidente da República afirmou que «assim garantimos a entrada de cubanos que estão no exterior, o retorno aos seus países de visitantes estrangeiros que estão no território nacional e a actividade comercial. Que os cidadãos residentes, quando chegarem, estejam em quarentena por 14 dias, para cuidar da família cubana», disse.