Cuba toma as medidas segundo o que previu com antecedência no Plano de Prevenção e Controle, que conta com um sistema saúde que demonstrou eficiência e com a participação e responsabilidade de todas as esferas da sociedade, na qual o povo é destinatário é actor principal

Autor: Granma | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Março, 2020

O jornal Granma disponibiliza aos seus leitores as forças quantitativas de um sistema de saúde pública gratuito, criado pela Revolução, que sempre teve a vida no centro de sua defesa. Também se lembra de várias das medidas anunciadas pelo presidente da República, Miguel Díaz-Canel, como parte da intensificação do Plano de Prevenção e Controle contra o Covid-19 em Cuba.

Entre as estabelecidas está o regulamento de entrada através das fronteiras do país, com autorização apenas para a entrada de residentes em Cuba, embora haja flexibilidade para garantir a cooperação com outros países.

O presidente da República afirmou que «assim garantimos a entrada de cubanos que estão no exterior, o retorno aos seus países de visitantes estrangeiros que estão no território nacional e a actividade comercial. Que os cidadãos residentes, quando chegarem, estejam em quarentena por 14 dias, para cuidar da família cubana», disse.

Em meio da ameaça do novo coronavírus, a decisão de nosso governo foi manter a colaboração médica e, naqueles países onde existem internacionalistas cubanos, torná-los um bastião avançado para enfrentar a pandemia e contribuir com os planos de medidas ditados por seus governos

Autor: Leydis María Labrador Herrera | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Março, 2020

Médicos cubanos chegam à Itália para combater o Covid-19. Foto: RT Foto: Internet

 

Actualmente, a #CubaSalva tornou-se uma marca popular nas redes sociais e é usada até em gírias populares, além da Internet, para se referir à posição da nossa Ilha no meio da complexa situação do mundo, face á explosão da pandemia de Covid-19.

Este não é o resultado do acaso, mas a mais palpável das verdades, uma vez que mais de 400.000 filhos desta terra enviaram uma mensagem de esperança ao mundo, através da nobre tarefa de salvar vidas. Durante 56 anos, 164 nações podem testemunhar o que tem sido um feito de solidariedade, considerando que é uma Ilha que luta constantemente contra a asfixia económica de um bloqueio arbitrário e genocida.

A vice-presidente da República Bolivariana da Venezuela, Delcy Rodríguez, descreveu os médicos cubanos como «expressão da humanidade, de profundo amor ao ser humano» e reconheceu a sua presença nos lugares mais intrincados da vasta geografia da nação sul-americana

Autor: Jorge Pérez Cruz, especial para o Granma | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Fevereiro, 2020

 

A vice-presidente da República Bolivariana da Venezuela, Delcy Rodríguez, denunciou a perseguição a que os médicos cubanos estão sujeitos, porque tentaram tratá-los com as suas manipulações como objectivos geopolíticos do capitalismo e do fascismo, enfatizou em reunião com representantes das missões sociais da Ilha na pátria de Bolívar.

Nesse sentido, lembrou o que o fascismo fez no Brasil e na Bolívia e o que a decisão de boicotar a colaboração de Cuba nessa área sensível significou para esses povos.

Delcy Rodríguez disse aos cooperadores que é realmente uma honra poder contar com vocês aqui, abrir as portas para mais médicos cubanos, como pediu o presidente Nicolás Maduro, e que todos aqueles que desistiram do fascismo da Bolívia e do Brasil podem alcançar às nossas terras, à terra de Bolívar e Chávez com seu amor por proporcionar saúde ao nosso povo.

De Addis Abeba, Etiópia, sede da União Africana (UA), a voz de solidariedade dessa organização foi levantada para reiterar a sua condenação ao bloqueio económico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos contra Cuba

Autor: José LLamos Camejo | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Fevereiro, 2020

     A União Africana contra o bloqueio de Cuba Foto: Twitter

 

De Addis Abeba, Etiópia, sede da União Africana (UA), a voz de solidariedade dessa organização foi levantada para reiterar a sua condenação ao bloqueio económico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos contra Cuba.

Uma resolução sobre o impacto das sanções e medidas coercitivas unilaterais, adotada pelos chefes de Estado e de Governo dos países que compõem a UA, aponta para o bloqueio dos EUA contra Cuba como o principal obstáculo à implementação na Ilha da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Desenvolvimento Sustentável.

O texto condenatório do cerco dos EUA contra nosso país ecoou durante a 33ª Assembleia Ordinária de chefes de Estado e de Governo da União Africana, uma organização que iniciou as suas operações em 2002 e é composta por 55 países neste continente.

Esta é a 191ª medida que o governo dos EUA impõe ao povo cubano o objetivo de causar desânimo e desespero, de maneira que isso leve a responsabilizar as autoridades revolucionárias pelos efeitos causados por suas medidas unilaterais

Autor: Redação Digital | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Fevereiro, 2020

Foto: Reuters

 

Outra reviravolta na sua política cruel, injusta e sem piedade com Cuba acaba de ser dada pela administração de Donald Trump: a Western Union suspendeu na quarta-feira as transferências financeiras para a Ilha, exceto as emitidas pelos Estados Unidos.

Prensa Latina destacou os anúncios feitos anteriormente pela entidade norte-americana, nos quais foi relatado que, devido às leis injustas do bloqueio, poderia perder a sua capacidade de operar com remessas para a Ilha maior das Antilhas de outros países do mundo.

Esta é a 191ª medida que o governo dos EUA impõe ao povo cubano o objectivo de causar desânimo e desespero, de maneira que isso resulte em responsabilizar as autoridades revolucionárias pelos efeitos causados pelas suas medidas unilaterais.