ALCA (Área de Livre Comércio das Américas): mais uma derrota para os Estados Unidos e as suas pretensões imperialistas

Das mãos de Chávez e Fidel nasceu a Alternativa Bolivariana para os Povos da Nossa América; Hoje Aliança Bolivariana para os Povos do Nosso Tratado de Comércio dos Povos da América (ALBA-TCP)

Autor: Escrita InternacionalEste endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

5 de Novembro de 2018

 

«Treze anos atrás, Chávez, Lula e Kirchner derrotaram a ALCA na Quarta Cimeira das Américas. Um feito histórico que enterrou as pretensões do plano imperialista que ameaçava a nossa região”.

Assim, o presidente venezuelano, Nicolas Maduro lembrou através da sua conta na rede social Twitter o fracasso de um outro projecto americano, quando o Comandante Hugo Chávez não permitiu que se consolidasse o poder económico das elites transnacionais que têm dominado os países da região.

A América Latina ainda se lembra de como os presidentes da Venezuela, Brasil e Argentina prevaleceram e conseguiram acabar com a ALCA na Quarta Cimeira das Américas realizada em Mar del Plata, em 4 e 5 de Novembro de 2005; "ALCA, para o inferno", como Chávez diria.

13 anos atrás, nas ruas da Argentina, vários movimentos e líderes sociais também rejeitaram essa iniciativa que visava garantir a livre circulação de mercadorias por meio da aplicação de regras comerciais supranacionais e limitar a capacidade dos governos nas suas próprias economias, o poder era para os investidores.

Diante disso, uma luz que confraternizou a nossa região nasceu das mãos de Chávez e Fidel: a Alternativa Bolivariana para os Povos de Nossa América; hoje Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América - Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP).

Graças a este mecanismo, em menos de duas décadas, foi possível devolver a vista a milhões de pessoas gratuitamente através do Mission Miracle; com o método educacional "eu posso fazê-lo", mais de cinco milhões de pessoas aprenderam a ler e escrever; A Escola Latino-Americana de Medicina continua a formar médicos que depois retornam aos seus países para aplicar o que aprenderam.

No entanto, todas essas conquistas estão em perigo, o cerco a governos progressistas é sentido hoje na América Latina e no Caribe e ameaça comprometer os projectos integracionistas da região: os ataques constantes do presidente dos EUA, Donald Trump, entre o retorno da Doutrina Monroe, as sanções contra a Venezuela e a Nicarágua, o endurecimento do bloqueio económico, financeiro e comercial contra Cuba; a ascensão ao poder das administrações direitistas, com ênfase na eleição de Jair Bolsonaro no Brasil, e a perseguição de líderes de esquerda (Lula, Dilma, Cristina Fernández).

Hoje, mais do que nunca, as vozes da ALBA, CELAC, CARICOM, AEC são necessárias num contexto difícil, onde é vital encontrar a "unidade além da diversidade".

 

Foi atribuído o prémio Hadrian pelo World Monuments Fund (WMF) a Eusébio Leal Spengler pelos “seus heróicos esforços para preservar e restaurar La Habana Vieja” um dos centros históricos mais belos e conservados do continente, considerado pela UNESCO, Património Cultural da Humanidade.

 

Granma 24.10.2018

O presidente Miguel Díaz-Canel Bermúdez, durante sua visita a Nova York no mês passado, no seu discurso perante mais de 150 cubanos residentes nos Estados Unidos, disse que os emigrantes cubanos de todo o mundo contribuem decisivamente para as lutas e os interesses que nossa nação defende.

Autor: Daina Caballero Trujillo | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Outubro 22, 2018

«Contamos com vocês. Somos Cuba» foi a mensagem com a qual o presidente Miguel Díaz-Canel Bermúdez concluiu o seu discurso dirigido a mais de 150 cubanos residentes nos Estados Unidos durante sua visita, no mês passado, em Nova York. Os emigrantes cubanos em todas as partes do mundo dão uma contribuição decisiva em favor das lutas e interesses que nossa nação defende.

Essa mensagem também foi lembrada por Ernesto Soberón Guzmán, director dos Assuntos Consulares e de Cubanos residentes no Exterior, do Minrex, no seu discurso no 13º Encontro Regional de Cubanos na Europa.

«Permitam-me reafirmar que o fortalecimento dos laços entre a nação cubana e seus nacionais no exterior é contínuo e irreversível», afirmou Soberón.

Na noite de terça-feira, 23 de Outubro, a Missão Permanente dos Estados Unidos na ONU distribuiu um conjunto de oito emendas à resolução cubana contra o bloqueio, declarou o ministro cubano das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez Parrilla, numa entrevista colectiva no Ministério das Relações Exteriores

Autor: Daina Caballero Trujillo | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Outubro 25, 2018

Photo: Cubaminrex

 

Os Estados Unidos iniciam uma nova manobra política contra Cuba. Esta é outra escaramuça infundada e absurda para enfraquecer o apoio dado anualmente pela comunidade internacional em relação à apresentação do Projecto de Resolução «Necessidade de acabar com o bloqueio económico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos contra Cuba».

«Na noite da terça-feira, 23 de Outubro, a Missão Permanente dos Estados Unidos na ONU distribuiu um conjunto de oito emendas à resolução cubana contra o bloqueio», disse o ministro cubano das Relações Exteriores, Bruno Rodríguez Parrilla, em entrevista colectiva no Ministério das Relações Exteriores.

«Essas emendas abrangem basicamente aspectos relacionados aos objectivos de desenvolvimento da agenda das Nações Unidas de 2030 e aos elementos associados aos direitos humanos, uma questão em que o governo dos Estados Unidos está determinado a desacreditar Cuba, sem sucesso».

Desde 1942, a máfia baseada em Cuba interagia com os serviços especiais dos Estados Unidos e com os governos corruptos da época, prestando grandes serviços na manipulação de situações políticas complexas, na repressão dos trabalhadores e do movimento revolucionário na Ilha e em diferentes conjunturas

Autor: Francisco Arias Fernández | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Outubro 18, 2018