As medidas tomadas após o triunfo de janeiro de 1959 foram um golpe devastador para os componentes estruturais do racismo. A outra grande batalha é exibir métodos educacionais e culturais que contribuam para uma nova subjetividade

Autor: Pedro de la Hoz | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Novembro, 2019

Poster do artista cubano Raúl Martinez.

 Na estante de uma feira de livros, a inscrição gravada numa camiseta chamou a minha atenção: «Não existem raças; racismo sim». Fernando Ortiz escreveu em 1946, El engaño de las razas  (O engano das raças), um ensaio-chave na evolução de um pensamento antropológico que o levou a pensar no etno cubano em termos de plena integração. Este sábio, cientificamente e conceitualmente, desmantelou a aplicação de padrões raciais para classificar os seres humanos e tentar justificar a superioridade de um sobre o outro pela cor da pele.

Meio século depois, quando a vanguarda da comunidade científica decifrou o genoma humano, a afirmação ortodoxa antecipada foi novamente confirmada: existe apenas uma raça, a humana.

Na segunda-feira à noite, soube que Evo Morales estava no avião do governo do México, enviado para garantir a sua transferência segura para aquele país.

Autor: Redação Internacional | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Novembro, 2019

Foto: Twitter

 

O governo do México concedeu asilo político a Evo Morales Ayma na segunda-feira, 11 de Novembro, após o golpe que causou a sua renúncia à presidência da Bolívia, após a onda de violência perpetrada por grupos de oposição que ignoraram os resultados das eleições de 20 de Outubro e a pressão das forças armadas e da polícia.

Os mais de 700 colaboradores cubanos na Bolívia estão seguros, confirmou a chefe da Brigada Médica naquele país

Autor: Granma | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Novembro, 2019

Foto: Internet

 

O presidente da República de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, condenou veementemente o golpe na Bolívia no domingo. Em sua conta no Twitter, ele disse: «A direita com golpe de estado violento e covarde atenta contra a democracia na Bolívia. Nossa forte condenação ao golpe de Estado e nossa solidariedade com o irmão presidente Evo Morales Ayma. O mundo deve ser mobilizado pela vida e pela liberdade de Evo».

Os países membros do bloco regional adoptaram uma Declaração Final que condena categoricamente o golpe de estado consumado contra o Governo de Evo Morales Ayma, presidente do Estado Plurinacional da Bolívia

Autor: Enrique Moreno Gimeranez | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Novembro, 2019

Foto: Twitter

 

Como resultado da 8ª Reunião Extraordinária do Conselho Político da Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América - Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP), realizada na quinta-feira, 14, em Manágua, Nicarágua, os países membros do bloco regional adoptaram uma Declaração Final que condena categoricamente o consumado golpe de Estado contra o Governo de Evo Morales Ayma, presidente do Estado Plurinacional da Bolívia.

O vice-presidente do Estado Plurinacional da Bolívia, Álvaro García Linera, também disse que renunciou ao seu cargo

Autor: Enrique Moreno Gimeranez | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Novembro, 2019 09

Foto: Twitter

 

CAMACHO CONFIRMA ORDEM DE PRISÃO CONTRA EVO MORALES

O líder da oposição Luis Fernando Camacho, um dos políticos por trás dos protestos que levaram à demissão de Evo Morales na Bolívia, confirmou a existência de um mandado de prisão contra o ex-presidente.

-------------------------------------------------- ------------

AMEAÇADAS EMBAIXADAS DA VENEZUELA, CUBA E MÉXICO NA BOLÍVIA

As Delegações diplomáticas da Venezuela e Cuba denunciaram ataques e cartéis ofensivos contra a sua representação na Bolívia.