Bruno Rodriguez Parrilla, ministro cubano das Relações Exteriores, afirmou que a decisão dos Estados Unidos de suspender os fundos da Organização Mundial da Saúde (OMS) é um ataque à comunidade internacional

Autor: Raúl Antonio Capote | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Abril, 2020

Foto: Prensa Latina

 

Bruno Rodriguez Parrilla, ministro cubano das Relações Exteriores, afirmou que a decisão dos Estados Unidos de suspender os fundos da Organização Mundial da Saúde (OMS) é um ataque à comunidade internacional.

«É uma acção egoísta e criminosa, que busca desviar a atenção sobre sua resposta ineficaz e a falta de proteção da sua população», publicou o chanceler cubano no Twitter.

António Guterres, secretário-geral da ONU, também criticou Trump: «não é um momento para reduzir os recursos necessários para a luta contra a pandemia».

O chanceler chinês, Zhao Lijian, manifestou a sua profunda preocupação pela posição do inquilino da Casa Branca, enquanto o ministro alemão das Relações Exteriores, Heixo Maas, expressou: «um dos melhores investimentos é fortalecer a ONU, particularmente a OMS». A Rússia também se mostrou preocupada, através de Maria Sakharova, porta-voz da chancelaria. A União Africana (UA) também considerou «desafortunada» a decisão dos EUA.

É um fármaco seguro no tratamento a pacientes infectados e na proteção preventiva de grupos de risco.

A Biomodulina T não evita o contágio com o novo coronavírus, mas ajuda a estimular o sistema imunológico das pessoas pertencentes a grupos vulneráveis para, em caso de infecção, a sua resposta ao vírus seja melhor e apresentem menos complicações

Autor: Abel Reyes Montero | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Abril, 2020

 Foto: Internet

 

A biotecnologia cubana vem mostrando o seu desenvolvimento e qualidade no panorama internacional, durante várias décadas.

Apesar da política hostil que o governo dos Estados Unidos manteve contra a Ilha, desde 1º de janeiro de 1959, a sábia condução do Comandante-em-chefe Fidel Castro permitiu que o sector das ciências e da técnica em Cuba se transformasse num dos pilares do país, com a conquista de prestígio internacional, o que nos coloca em condições favoráveis para fazer face à pandemia global da Covid-10.

No contexto da luta contra essa doença contagiosa, uma das instituições de referência da nossa indústria biotecnológica; o Centro Nacional de Biopreparados (Biocen), confirma-se na vanguarda entre os fornecedores de fármacos de que a Ilha está a precisar para combater o novo coronavírus, pois tem a seu cargo a produção íntegral do Interferon Alfa 2B Humano Recombinante, e inclui, como produto endógeno do centro, a fabricação, em grande escala, da Biomodulina T.

A Associação Nacional de Pequenos Agricultores (ANAP) incentiva os seus membros a aumentar os esforços na agricultura, tendo em conta o momento transcendente que o país vive

Autor: Granma | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Abril, 2020

Foto: Juan Pablo Carreras

 

«É preciso colher tudo; o país tem que viver com o que sejamos capazes de produzir, a partir dos nossos próprios esforços e recursos, de forma a atingir a segurança alimentar e nutricional. Esta é e será sempre a nossa resposta contundente perante a pandemia e a agressividade do imperialismo ianque, na sua fracassada intenção de asfixiar a economia e destruir a Revolução».

Assim expressa o campesinato cubano, na convocatória que a Associação Nacional de Pequenos Agricultores (ANAP) fez aos seus membros, no momento transcendente que o país vive.

O texto convoca a «dobrar os esforços para que nada fique parado e honrar os volumes de produtos contratados na produção agropecuária, estimular o seu incremento, o aproveitamento de toda a terra e aumentar o plantio».

A máscara não me deixa ver o seu rosto claramente, mas não é necessário. Enquanto ela fala, o brilho dos seus olhos denota a tranquilidade de alguém que cumpre o seu dever acima de tudo, e as suas palavras confirmam isso mesmo

Autor: Gladys Leidys Ramos | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Abril, 2020

Foto: José Manuel Correa

 

Membros da Brigada de Prevenção das Forças Armadas Revolucionárias e do Regimento de Tropas Especiais da Região Militar de Havana estão atualmente a realizar na capital um intenso esforço para aumentar a conscientização dos perigos da Covid-19. 

 

«Eu sou de Guantánamo. Embora no momento eu esteja longe da minha menina de três anos, continuo com o meu trabalho de apoiar, a partir da prevenção, que as medidas contra o novo coronavírus sejam cumpridas por cada uma das pessoas que andam necessariamente pelas ruas», afirmou a subtenente Maviannis Viquillón Fajardo, membro da Brigada de Tropas de Prevenção das Forças Armadas Revolucionárias (FARS), na capital.

Jovens como Maviannis, pertencentes a esta brigada, percorrem a cidade várias vezes ao dia, juntamente com membros do Regimento de Tropas Especiais da Região Militar de Havana, com a missão de contribuir para a realização de acções sanitárias contra a disseminação da Covid-19.

A pandemia do novo coronavírus não faz distinção. Ataca com força nações pobres e ricas, do Oriente ao Ocidente, do Norte ao Sul. Acabou empurrando o mundo para uma crise só comparada com a que açoitou a humanidade durante a Segunda Guerra Mundial.

Autor: Alejandra García | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

abril, 2020

Enquanto a colaboração médica cubana se estende pelo mundo todo, com o fim de ajudar a combater a Covid-19, o bloqueio demente que os EUA impõem ao nosso país acaba de cortar o acesso da Ilha a dois dos seus fornecedores habituais de respiradores artificiais, um equipamento chave no atendimento dos casos mais graves desta doença.

 

Noutro aperto do nó desta política genocida e desumana, os fabricantes IMT Medical AG e Acutronic, anunciaram o fim dos vínculos com Cuba, depois de serem adquiridos pela empresa estadunidense Vyaire Medical Inc..

«Infelizmente, a diretriz corporativa que temos hoje em dia é suspender todo relacionamento comercial com a MediCuba», arguiram ambas as entidades, segundo deu a conhecer o diretor-geral para a América Latina e o Caribe, do ministério das Relações Exteriores (Minrex), Eugenio Martínez Enríquez, na sua conta no Twitter.