Santa Clara - Cubanos de diversas gerações renderam homenagem no dia 14,  ao general independentista Antonio Maceo e ao símbolo revolucionário Ernesto Che Guevara no aniversário 173 e 90 anos dos revolucionários, respectivamente.

Milhares de pessoas participaram numa peregrinação a partir  de um parque dedicado a Maceo (14 de junho de 1845-7 de dezembro de 1896) até ao monumento que honra o guerrilheiro argentino-cubano (14 de junho de 1928-9 de outubro de 1967), onde teve lugar a cerimónia central de homenagem.

Convidado pela Comissão Europeia, o Ministro da Cultura de Cuba, Abel Prieto Jiménez, deu hoje uma palestra no encontro " O património cultural e a criatividade através das lentes das mulheres ", que se realizou em Bruxelas, nas Jornadas Europeias do Desenvolvimento.

No fórum, que  compartilhou com o Diretor Geral de Cooperação Internacional e Desenvolvimento da União Europeia, Stefano Manservisi; o Subdiretor-Geral da UNESCO para Assuntos Africanos, Edouard Matoko e a cantora belga de origem congolesa Marie Daulne, entre outros, o tema principal referia-se ao processo de integração da sociedade das mulheres cubanas e em particular ao seu papel na criação artística.

Prieto Jiménez também abordou a política cultural da Revolução Cubana, visando preservar a memória, as tradições e a identidade da nação, bem como salvaguardar a extraordinária herança cultural.

Na sequência da erupção do Vulcão do Fogo, dia 3, as autoridades cubanas colocaram à disposição do governo da Guatemala toda a sua brigada médica, presente em 16 departamentos do país centro-americano.

Oito dias volvidos sobre a violenta erupção vulcânica na Guatemala, que deixou pelo menos 110 pessoas mortas e mais de 200 desaparecidas, o Instituto Nacional de Sismologia continua a registar explosões.

Um dos departamentos mais atingidos pela «fúria do colosso» foi Escuintla, no Sudoeste do país, onde há anos prestam assistência à população trabalhadores da Brigada Médica Cubana (BMC). Actualmente, são 26, que «convivem com os habitantes da região e, assim, conhecem bem os seus costumes e necessidades», refere a Prensa Latina.

Mal se deu a catástrofe, com especial incidência neste departamento, os médicos cubanos disponibilizaram-se de imediato para ajudar as equipas de socorro guatemaltecas, continuando a desempenhar as suas tarefas no hospital.

Na Escola Oficial Urbana Mista Tipo Federação «José Martí», transformada nestes dias num albergue para prestar assistência às cerca de 900 pessoas afectadas pela erupção vulcânica em Escuintla, o coordenador do grupo cubano nesta região, Relmar Quintana Martínez, explicou à Prensa Latina que se começam a observar os primeiros sintomas de infecções respiratórias e digestivas.

«Estamos a examiná-los a todos com o propósito de os ter controlados e actuar rapidamente face a qualquer emergência», disse. A Prensa Latina pôde verificar que os médicos cubanos, presentes no local desde o primeiro momento da tragédia, realizam turnos de 12 horas, durante toda a madrugada, cobrindo períodos em que colegas de outros países estão ausentes, aumentando os riscos. No dia seguinte, integram os turnos no hospital.

«Apesar das políticas hostis do governo dos Estados Unidos existe uma história muito unida de solidariedade do povo desse país com Cuba», asseverou na entrevista exclusiva ao semanário Granma Internacional a directora para a América do Norte, do Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP), Sandra Ramírez Rodríguez

Autor: Nuria Barbosa León

Maio 16, 2018 19:05:30

 

Ramírez Rodríguez explicou que tanto nos Estados Unidos como no Canadá, funciona uma plataforma que, ao nível nacional, une a maioria das associações de amizade, embora haja muitos amigos e simpatizantes com a Revolução cubana que não integrem essas organizações, mas demonstram com diversos gestos solidários seus sentimentos pela Ilha maior das Antilhas.

No caso dos Estados Unidos existem 112 organizações solidárias, umas mais activas que outras, e dentro da rede nacional agrupam-se 46. As cidades mais activas são Chicago, San Francisco, Oakland, Richmond, Berkeley, Los Angeles, Boston, Massachusetts e a Florida.

No entanto Nova York é qualificada como a cidade da solidariedade, pelo número de associações e grupos de amizade que trabalham a favor de Cuba. «Todas elas fizeram múltiplas acções em 2017 e propõem um variado programa para 2018», destacou Sandra.

CUBA apresentou, em 16 de maio, seu Exame Periódico Universal (EPU), no Conselho dos Direitos Humanos

Autor: Sergio Alejandro Gómez

Maio 16, 2018 19:05:58

 

O evento foi uma nova chance para mostrar os avanços na aplicação de um modelo económico e social que tem no seu amago o ser humano e procura conquistar a maior justiça possível.

Esta é a terceira ocasião em que o país apresenta um relatório a esse mecanismo, que avalia o desempenho, em termos de direitos humanos, a todos os membros das Nações Unidas, em cada quatro anos e meio.

A última vez que Cuba se apresentou foi em maio de 2013. O semanário Granma Internacional partilha com os seus leitores alguns dos sucessos registados durante os últimos cinco anos.