A Feira do Livro, como muitas outras que são apresentadas ao redor do mundo, oferece a oportunidade para a troca entre especialistas de diferentes lugares

Autor: Graziella Pogolotti | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

Começou em La Cabaña e continua por todas as províncias do país. A Feira do Livro, como muitas outras que são apresentadas ao redor do mundo, oferece a oportunidade para a troca entre especialistas de diferentes lugares. É a ocasião propícia para organizar negócios editoriais.

A tortura fez parte da cruzada «pela liberdade» dos EUA. Lembre-se das imagens dantescas de Abu Ghraib ou dos testemunhos dos prisioneiros da base em Guantánamo.

Autor: Raúl Antonio Capote | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

O assessor de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou recentemente o recrudescimento de sanções contra o que ele chamou de «forças destrutivas no hemisfério». Com uma fantasia digna de sua execução desajeitada imperial – lembre-se a famosa mentira das «armas biológicas» cubanas, que o fez perder credibilidade – o senhor assessor de «insegurança» referiu-se «aos adversários torturados no tristemente célebre Combinado del Este, em Cuba; no Helicoide, da Venezuela, e na prisão de Chipotle, na Nicarágua».

Em Cuba, um prisioneiro nunca foi torturado, nem mesmo aqueles que foram pagos pelo governo dos Estados Unidos e cometeram crimes atrozes contra nosso país; para a Revolução Cubana, o respeito pela integridade e dignidade dos detidos é algo sagrado.

Do Chile ao Iraque, a tortura fez parte da cruzada «pela liberdade» dos EUA. Lembre-se das imagens dantescas de Abu Ghraib ou dos testemunhos dos prisioneiros da base em Guantánamo.

O Granma Internacional publica o discurso proferido pelo general-de-exército Raúl Castro Ruz, primeiro secretário do Comité Central do Partido Comunista de Cuba, na Segunda Sessão Extraordinária da 9ª Legislatura da Assembleia Nacional do Poder Popular, por ocasião da proclamação da Constituição da República, no Palácio das Convenções, em 10 de abril de 2019, «Ano 61º da Revolução»

Autor: Raúl Castro Ruz | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

O Granma Internacional fala com Teresa Amarelle Boué, Secretária-Geral da Federação das Mulheres Cubanas (FMC), sobre os desafios da primeira organização de massas criada pela Revolução, que celebrou seu 10º Congresso de 6 a 8 de Março

Autor: Alejandra García | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

 

 

 Foto: Dunia Álvarez Palacios

 

«Temos que ser mais ágeis, mais dinâmicas, adaptarmo-nos aos tempos», disse Teresa Amarelle Boué, secretária-geral da FMC. 

10 de Abril de 2019 - proclamada a nova Constituição

 

Constituição cubana feita pelos cubanos, tal como Guáimaro. Cento e cinquenta anos atrás, o desafio quebrou as directrizes de uma coroa instalada no outro lado do mar

Autor: Dilberto Reyes Rodríguez | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

abril 10, 2019 08:04:21

Photo: Juvenal Balán

 

É grande o país que reverencia a história na prática constante da sua soberania.

Quando ele carrega o glorioso passado em que aprendeu lições como bússola e bandeira, e reconhece nele a forja do carácter, e encontra nos seus anais a base fundamental dos princípios morais, de uma ética da nação, de dar tudo por si mesmo e de dar igual a quem precisa do seu braço e companhia. É um país importante porque sente e age com as entranhas da humanidade.

Para as pessoas não serve muito a história que é enclausurada em urnas de vidro, e que se encontra num altar de ouro, proibida ao toque, ao julgar seus heróis, recontando-o e redescobrindo-o porque é um objecto sagrado para venerar.

A boa história é a útil, a que se reproduz em atitudes, a que se torna exemplar, a que acende o espírito do combate pelos justos, ontem na mata com o facão, hoje no trabalho incessante com o rifle nas costas.

Isto é 10 de Abril, uma data bordada na memória da ilha com fios de resolução e desafio.