A ordenação económica e financeira do país dá-se num complexo momento em que, à actual crise económica mundial, o crescente agravamento da política genocida do bloqueio e a baixa disponibilidade de divisas livremente convertíveis se juntou, desde muito cedo em 2020, uma pandemia que trouxe enormes despesas para o Estado cubano

Tarefa gigantesca concebida há uma década, e agora em curso, de pôr ordem na dupla moeda e na taxa de câmbio, os subsídios excessivos, as gratificações indevidas e realizar uma reforma abrangente dos salários exigida há anos pelos trabalhadores e aposentados.

                    

Obra de Raúl Martínez.

 

O objectivo baseia-se na actualização do modelo económico e social aprovado e ratificado nos 6º e 7º Congressos do Partido e nos demais documentos que regem a vida da nação. A alta direcção do país explicou que por suas características abrangentes esta é uma das tarefas mais complexas que se enfrentou na ordem económica.

Em particular, a transformação das receitas representa uma necessidade que significa, antes de tudo, uma oportunidade de crescimento para as nossas empresas, tanto ao nível interno como externo, que se traduz em benefícios para todos.

A grande obra educativa de Cuba não surgiu por acaso ou por algo divino, é a expressão concreta de um feito emancipatório, cuja primeira grande tarefa foi, precisamente, que os seus filhos aprendessem a ler e escrever. Foram quase crianças que em 1961 assumiram a imensa tarefa da alfabetização. Livraram-se do lar, da vida na cidade, da protecção de seus pais e saíram para cumprir aquela nobre missão da Revolução triunfante

Os professores, neste ano difícil, enfrentaram o desafio de educar com um novo sorriso. 

A pequena Angie disse-nos: «Agora sei ler». E a mãe, professora, não escondeu o orgulho quando a menina destacou: «e faz muito tempo».

Em Cuba, ela não é excepção. São mais de dois milhões de crianças, adolescentes, jovens e adultos que estão nas salas de aula, a receber o conhecimento, o direito de saber, um dos mais preciosos anseios do ser humano para se desenvolver e ser livre, como nos deixou José Martí.

Com a presença do general-de-exército Raúl Castro Ruz, primeiro secretário do Comité Central do Partido, e do presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, a Assembleia Nacional reuniu-se no 6º período ordinário, correspondente à 9ª Legislatura.

Foto: Estudio Revolución

 

Com a presença do general-de-exército Raúl Castro Ruz, primeiro secretário do Comité Central do Partido, e do presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, a Assembleia Nacional reuniu-se no 6º período ordinário, correspondente à 9ª Legislatura. Após a apresentação e aprovação de novas leis, incluindo o Orçamento do Estado para 2021.

Na quarta-feira, 16, o Parlamento cubano, liderado pelo seu presidente, Esteban Lazo Hernández, condenou as tentativas de desestabilização política dos contra-revolucionários, financiadas a partir dos Estados Unidos.

A agenda dos deputados – ligados das províncias por videoconferência – começou com a análise da contribuição da ciência para o confronto à Covid-19, momento em que o chefe de Estado lembrou que Cuba conseguiu vencer o primeiro e o segundo surto da pandemia, e agora o conceito da nova normalidade está a ser levantado.

Os resultados de Cuba, uma quimera para outros povos do mundo, foram conquistados diante de décadas de bloqueio dos Estados Unidos, um acto de genocídio e uma violação flagrante, massiva e sistemática dos direitos humanos de todo o nosso povo.

Todo dia 10 de dezembro, a comunidade internacional celebra o Dia dos Direitos Humanos. Apesar de seus resultados inquestionáveis, a Revolução Cubana foi vítima durante anos de calúnias em relação a este assunto. Quais são os objetivos de tais campanhas de difamação?

O tema tem sido objecto de manipulação, duplo critério, punições, politização e seletividade de alguns Estados, a fim de estigmatizar governos que não se curvam aos interesses imperiais, deturpam a sua realidade e procuram destruí-los por meio de operações de mudança de sistema.

No caso de Cuba, omitiram intencionalmente que, desde a ocupação militar dos Estados Unidos e durante o período neocolonial, 45% das crianças não frequentavam a escola, os trabalhadores e camponeses careciam dos direitos mais básicos; assassinato, tortura e discriminação eram uma prática diária.

O triunfo de 1º de Janeiro de 1959 transformou radicalmente aquele triste panorama. Desde então, a promoção e protecção de todos os direitos humanos para todos tem sido uma prioridade, com base no seu caráter universal, indivisível, interdependente e inter-relacionado.

«Esteja certo de que o ímpeto e a força da juventude cubana o vão acompanhar todos os dias e em todos os desafios», garantiu nesta quinta-feira, 10 de dezembro, ao presidente da República de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, um dos mais de cem jovens reunidos com o chefe de Estado na Universidade das Ciências Informáticas (UCI), durante a visita governamental a Havana

Foto: Juventude Rebelde

 

O encontro com alunos e professores das universidades da capital foi a primeira etapa do dia em que o presidente agradeceu, em nome do povo e do governo, o esforço das novas gerações no combate à Covid-19 e os demais desafios do ano 2020.

«Este ano tem sido difícil, pôs-nos à prova, mas também foi um ano de resistência, de solidariedade com o povo, entre a família, para que a pandemia não pudesse causar os danos que causou no resto do mundo», destacou com orgulho.