Com a eleição de Hugo Chavez como Presidente da Venezuela e a aprovação, em referendo, a nova Constituição da República Bolivariana da Venezuela consagra importantes direitos políticos, económicos e sociais.

Desde então, grandes conquistas são concretizadas de que se destacam: a irradicação do analfabetismo, cerca de 2 milhões de venezolanos (com o apoio do método cubano); a construção de 3.400.000 habitações sociais devidamente equipadas (electrodomésticos, etc.); a educação gratuita a todos os níveis (primário, secundário e universitário); a saúde gratuita com a criação da Missão Bairro Dentro (com a participação dos médicos cubanos); a criação dos CLAP-Comités Locais de Abastecimento e. Produção.

O governo bolivariano da Venezuela prossegue uma política de independência e soberania nacional e de solidariedade com os países da região.

A Venezuela possui importantes recursos naturais: as maiores reservas de petróleo do mundo, grandes reservas de ouro e de minerais raros muito procurados.

É para controlar, em benefício próprio, todas estas riquezas naturais que o imperialismo norte-americano desenvolve uma criminosa “guerra multiforme” contra a Venezuela, em que é apoiado por alguns governos lacaios.

O bloqueio económico, financeiro e comercial ilegítimo, ilegal e contra todas as normas legais  internacionais é acompanhado de acções desestabilizadoras e terroristas conduzidas pelos EUA que têm como finalidade derrubar o governo legítimo da Venezuela e impor um poder que facilite os seus objectivos.

ELEIÇÕES PARLAMENTARES EM 6 DE DEZEMBRO

De acordo com a Constituição as eleições parlamentares foram marcadas pela CNE (Comissão Nacional Eleitoral) para o dia 6 de Dezembro próximo.

A população da Venezuela é de 32 milhões e recenseados para votar são 20.733.941.venezuelanos.

De acordo com a CNE apresentaram-se 14.400 candidatos em representação de 107 partidos políticos (30 organizações de carácter nacional, 53 de carácter regional, 6 indígenas nacionais e 18 de indígenas regionais). Apenas se auto-excluiu o autoproclamado Guaidó.

O voto é universal, directo e secreto. Esta é a 25ª eleição, nas anteriores as forças políticas que apoiam a revolução apenas perderam duas votações.

O sistema eleitoral da Venezuela foi auditado pela Fundação Jimy Carter e considerado dos melhores do mundo pela boca do próprio ex-Presidente dos EUA.

O sistema vai ser auditado 14 vezes antes, durante e após o acto eleitoral.

O imperialismo norte-americano não aceita a realização de eleições, porque, como tudo indica vão ser ganhas pelas forças que apoiam e revolução.

Como aconteceu em actos anteriores nos processos eleitorais o imperialismo, conforme já denunciou o governo da Venezuela, incrementa as acções desestabilizadoras como o ataque ao sistema eléctrico, escassez de alimentos e aumento de preços e acções terroristas.

Mas a Revolução dispõe de meios, nomeadamente a Aliança-Cívico-Militar-Policial, para a defesa integral da soberania e independência nacional.

NOTA: Sugerimos a leitura do importante documento do Governo Bolivariano da Venezuela enviado à ONU e entregue ao corpo diplomático em Caracas com o título “LA VERDAD DE VENEZUELA CONTRA LA INFÃMIA DEL GRUPO DE LIMA”  ver link a seguir:

https://albaciudad.org/wp-content/uploads/2020/09/La-verdad-de-Venezuela-contra-la-infamia.-Datos-y-testimonios-de-un-pais-bajo-asedio.pdf

Fontes: ultimasnoticias.com.ve

Agencia venezuelana de noticias

 

(Boletim de Outubro AAPC)