Imprimir
Categoria: Notícias de Imprensa

Declarações exclusivas ao Granma Internacional desta atleta, depois de que fosse selecionada pelo Comité Paraolímpico Internacional como protagonista do momento mais destacado da década.

Omara não esquece nenhuma das pessoas que a ajudaram nos seus sucessos.

Photo: Calixto Llanes

 

«Para mim foi um orgulho vencer a final, com 499 votos, após superar outros grandes atletas, na sondagem do Comité Paraolímpico Internacional para seleccionar o momento mais destacado da década».

A multimedalhista corredora Omara Durand considerou que «este é um sinal do reconhecimento mundial ao movimento paraolímpico cubano. São muitas as pessoas que, durante os 21 anos que levo praticando este desporto, contribuíram com seus melhores esforços em função dos meus resultados».

«Não bastaria um parágrafo para mencionar todos eles, partindo daqueles que me descobriram como atleta, passando pelos professores que os seguiram, até chegar à atual treinadora Miriam Ferrer, quem realizou um grande trabalho para que eu não perdesse uma corrida desde o ano 2011».

Durand chegou à final da sondagem também apoiada por suas três medalhas de ouro nos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro-2016 e mais duas medalhas de ouro ganhas em Londres-2012.

Numa conversa com o Granma Internacional, a corredora agradeceu a sua mãe Adis, «por seu apoio incondicional, a minha bela família, na qual incluo meu guia Yuniol Kindelán, e minha princesa Ericka (filha), que desde que nasceu foi uma benção e fonte de inspiração».

A campeã cubana igualmente teve palavras de agradecimento para os médicos e o pessoal técnico que «me livraram das lesões e dos momentos difíceis da carreira desportiva. Reconheço a bondade da nossa Revolução, por oferecer aos atletas paraolímpicos a oportunidade de poder realizar os nossos sonhos».

«Este reconhecimento, o facto de ter sido indicada, em duas ocasiões, para o Prémio Laureus, e ter gravado as impressões das minhas mãos nos Jogos Pan-paraolímpicos de Lima-2019, desfrutei isso com intensidade e guardo-os com muito carinho, junto às homenagens recebidas em Cuba».

Omara superou a ciclista britânica Sarah Storey por 499 votos a 229 na sondagem. Ao princípio da votação participaram 16 desportistas, até chegar à final.