O número referido inclui 250 equipamentos da variante invasiva, ou seja, aquele que é acoplado ao paciente por intubação e é utilizado em unidades de tratamento intensivo no atendimento a pacientes graves e críticos

 

Foto: XINHUA

Cerca de vinte especialistas do CNEURO, quase todos muito jovens, intervieram no desenvolvimento do dispositivo. 

 

Para o próximo mês de Outubro, o sistema nacional de saúde deve ter os primeiros 500 ventiladores pulmonares construídos no país, informou o doutor em Ciências Mitchell Valdés Sosa, director do Centro Cubano de Neurociências (Cneuro), pertencente ao Grupo Empresarial. BioCubaFarma.

O número acima referido é composto por 250 equipamentos da variante invasiva, ou seja, aquela que é acoplada ao paciente por meio de intubação e é utilizada em unidades de tratamento intensivo, no atendimento de pacientes graves e doentes, além de um número igual dos chamados não invasivos, que não exigem esse procedimento para o emprego e são aplicados em casos menos graves.

Segundo o dr. Valdés Sosa, o primeiro dos dispositivos mencionados é resultado de um trabalho conjunto entre especialistas do Cneuro, do Centro Nacional de Eletromedicina e da Companhia Grito de Baire, da União das Indústrias Militares, responsável por todo o processo de desenvolvimento da parte mecânica, enquanto a segunda versão teve basicamente a contribuição de profissionais e técnicos do Centro de Neurociências e do Centro de Imunologia Molecular.

Destacou que, para sua fabricação nas duas variantes, eles foram baseados em códigos de código aberto, publicados na Internet pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts e pela University College London, respectivamente, mas o software usado e o design industrial são obra de especialistas cubanos.

Também destacou o papel principal desempenhado pelo Centro de Controle Estatal de Medicamentos, Equipamentos e Dispositivos Médicos (Cecmed), em estrita conformidade com cada um dos requisitos regulamentares estabelecidos para a produção desses equipamentos.

O dr. Mitchell Valdés lembrou que durante o último mês de Abril o governo cubano não conseguiu adquirir ventiladores pulmonares das empresas suíças im Medical ag e Acutronis, uma vez que as duas entidades foram compradas pela empresa norte-americana Vyaire Medical Inc, que suspendeu o relacionamento comercial com o nosso país, devido ao bloqueio.

«Foi então que a alta direcção do país contratou a equipe multiinstitucional para tentar fazer um protótipo de ventilador em tempo recorde, para que nenhum paciente cubano infectado com a Covid-19, que precisasse dele, ficasse sem um dispositivo médico tão importante, capaz de garantir a respiração assistida», afirmou.

Autor: Orfilio Peláez | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Julho, 2020