Músicos cubanos e do mundo uniram-se para interpretar uma nova versão da peça Eleanor Rigby, dos Beatles. Em tempos do coronavírus, a nova proposta converte a letra numa mensagem de cooperação e convívio pacifico.

Autor: Ricardo Alonso Venereo | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Junho, 2020

 

Músicos cubanos e do mundo uniram-se para interpretar uma nova versão da peça Eleanor Rigby, dos Beatles. Em tempos do coronavírus, a nova proposta converte a letra numa mensagem de cooperação e convívio pacifico.

De Cuba participaram os músicos Carlos Alfonso e Ele Valdés — líderes da agrupação Síntesis — sua filha Eme Alfonso, o pianista Pepe Gavilondo — teclista de Síntesis e líder do projecto Ensemble Interactivo, de Havana — e o trovador Ariel Díaz.

A música também contou com os artistas Bruna Brenner (Brasil), Zsolt Bartek (Hungria), Kyla-Rose Smith, Becky Hill e Héctor Herrera (Estados Unidos). Produzida por Pepe Gavilondo, teclista do Síntesis, a peça conserva o seu espírito natural e dialoga com a contemporaneidade.

«Eleanor Rigby, gravada entre os dias 28 e 29 de Abril, e 6 de Junho de 1966, nos estúdios 2 e 3, da EMI Studios, foi estreada como single, em 1966, e também fazendo parte do álbum Revolver, dos Beatles. Foi escrita principalmente por Paul McCartney, com a ajuda de John Lennon e registada como Lennon/McCartney.