Nas linhas finais da mensagem, eles declaram-se ainda mais unidos na construção de um mundo de paz e igualdade social, e sublinham que hoje, graças aos cubanos, «também na Itália se entendeu que o capitalismo fornece o supérfluo, enquanto o socialismo dá o que é necessário»

Autor: Granma | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Abril, 2020

 

Médicos cubanos chegam à Itália para combater o Covid-19. Foto: RT

 

Em agradecimento expresso pela assistência de uma brigada de médicos cubanos à região italiana da Lombardia, a mais afectada no país pela disseminação do novo sars Cov-2 coronavírus, o Partido Comunista daquele país europeu enviou uma mensagem ao primeiro secretário da Comité Central do Partido, general-de-exército Raúl Castro Ruz, e o presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez.

A carta elogia a valiosa cooperação da Ilha maior das Antilhas, que ajudou o sistema de saúde pública italiano num sério momento de emergência nacional.

«Depois de anos de cortes nos gastos em saúde pública, o nosso sistema de saúde encontra-se em grande dificuldade hoje, apesar do trabalho abnegado e implacável de médicos e profissionais de saúde, que também estão hoje na trincheira contra a coronavírus».

Enviado «em nome do Comité Central e de todo o Partido (Partido Comunista da Itália)», a carta agradece profundamente «uma pequena Ilha estrangulada por muitos anos pelo bloqueio económico total da maior potência do mundo. Uma das nações que está a dar uma grande lição de solidariedade e humanidade. Os seus médicos curaram pacientes em 64 países do mundo. Graças aos ensinamentos do comandante Fidel, eles testemunham o valor e a superioridade da sociedade socialista».

O documento pede para transmitir um abraço fraterno aos médicos extraordinários, ao Partido Comunista, ao povo de Cuba e a todos aqueles que trabalharam pela manutenção da sociedade e da pátria socialista contra todos os ataques. «Em 60 anos, eles foram um exemplo e um recurso inestimável para todos os povos do mundo».

Nas linhas finais da mensagem, declaram-se ainda mais unidos na construção de um mundo de paz e igualdade social, e sublinham que hoje, graças aos cubanos, «também na Itália se entendeu que o capitalismo fornece o supérfluo, enquanto o socialismo dá o que é necessário».