Peço-lhe, caro companheiro Díaz-Canel, que transmita aos cubanos e cubanas, especialmente aos cientistas e profissionais que estão nesta dura luta pela vida em todo o mundo, o reconhecimento, a admiração e a gratidão do povo brasileiro. Estaremos juntos, sempre, até à vitória

Autor: Luiz Inácio Lula da Silva | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Março, 2020

Foto: Granma

São Bernardo do Campo, SP Brasil

23 de Março de 2020

 

Caro Miguel Díaz-Canel,

Presidente da República de Cuba

Estou a escrever para falar sobre a emoção que senti quando vi a imagem dos médicos cubanos chegados a Itália, para ajudar as vítimas da pandemia de coronavírus naquele país.

Mais uma vez, o governo e o povo de Cuba dão ao mundo um exemplo de solidariedade, superando todas as barreiras, sejam de natureza económica, geográfica ou política.

É em momentos de crise que encontramos os verdadeiramente grandes. E nessas horas as pessoas daquela ilha são sempre gigantescas diante do mundo. A solidariedade activa, militante e revolucionária de Cuba já foi evidente em várias partes do planeta, numa resposta altiva e soberana àqueles que tentam impor o bloqueio económico e o isolamento político.

O povo brasileiro ficará eternamente grato pelo papel que desempenhou no nosso programa Mais Médicos, numa cooperação que salvou inúmeras vidas e ensinou muito aos nossos próprios profissionais de saúde.

Essa cooperação foi brutalmente interrompida por um governo mesquinho com o povo e cegada por uma ideologia individualista e desumana.

Nestes momentos de crise devido ao coronavírus, infelizmente de uma maneira mais dolorosa para o nosso povo, todos estão a reconhecer a falta que os colegas médicos cubanos nos fazem aqui.

Peço a você, querido colega Díaz-Canel, que transmita aos cubanos, especialmente aos cientistas e profissionais de saúde que estão nesta dura luta pela vida em todo o mundo, o reconhecimento, a admiração e a gratidão do povo brasileiro.

Estaremos juntos, sempre, até à vitória

Luiz Inácio Lula da Silva