Cuba toma as medidas segundo o que previu com antecedência no Plano de Prevenção e Controle, que conta com um sistema saúde que demonstrou eficiência e com a participação e responsabilidade de todas as esferas da sociedade, na qual o povo é destinatário é actor principal

Autor: Granma | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Março, 2020

O jornal Granma disponibiliza aos seus leitores as forças quantitativas de um sistema de saúde pública gratuito, criado pela Revolução, que sempre teve a vida no centro de sua defesa. Também se lembra de várias das medidas anunciadas pelo presidente da República, Miguel Díaz-Canel, como parte da intensificação do Plano de Prevenção e Controle contra o Covid-19 em Cuba.

Entre as estabelecidas está o regulamento de entrada através das fronteiras do país, com autorização apenas para a entrada de residentes em Cuba, embora haja flexibilidade para garantir a cooperação com outros países.

O presidente da República afirmou que «assim garantimos a entrada de cubanos que estão no exterior, o retorno aos seus países de visitantes estrangeiros que estão no território nacional e a actividade comercial. Que os cidadãos residentes, quando chegarem, estejam em quarentena por 14 dias, para cuidar da família cubana», disse.

Aplicar práticas de distanciamento social. «Esse é um comportamento responsável para proteger os sectores mais vulneráveis. Os jovens devem evitar infectar avós e pais, que podem ser os mais afectados», afirmou.

As pessoas mais susceptíveis devem ficar em ambientes fechados, o mais longe possível e evitar contacto próximo com outras pessoas.

Suprimir saudações efusivas. Nem beijos nem abraços; saudações a uma distância segura até a epidemia passar.

Serão apresentadas propostas para o trabalho em casa, por teletrabalho e aulas ou trabalhos on-line. Frequentar apenas os locais necessários para comprar alimentos, remédios ou fazer procedimentos específicos.

«Evitar multidões, as viagens e usar o transporte público nos horários de ponta e cancelar eventos sociais, também exigem alta conscientização e responsabilidade da população».

Aumentar as medidas como lavar as mãos, manter a distância de pelo menos um metro das pessoas, evitar tocar nos olhos, nariz e boca, cobrir-se com os cotovelos ao tossir e procurar um médico em caso de sintomas.