Nesta ofensiva tenaz do imperialismo os mídia revelam-se como uma frente incontornável deste ataque e um poderoso meio de desestabilização de países soberanos com o propósito de criar as condições para serem levadas à prática os mais ignóbeis propósitos.

Dar combate a esta situação é um dos propósitos das forças democráticas.

No dia 27 de Janeiro foi inaugurada em Havana a filial da TELESUR com um novo centro de produção de conteúdos em espanhol e inglês .

Na inauguração estiveram presentes o Presidente Diaz-Canel, o Ministro dos Negócios Estrangeiros de Cuba, Bruno Rodriguez e a Presidente da Telesur Patrícia Villegas.

A TELESUR é uma rede de televisão multi-estatal e foi criada em 24 de Julho de 2005, aniversário de Simon Bolívar e é financiada pela Venezuela, Cuba, Equador, Bolívia e Uruguai.

O seu lema – o nosso norte é o sul – nasceu de uma evidente necessidade latino-americana de contar com um canal que permita a todos os habitantes desta vasta região difundir os seus próprios valores, divulgar a sua própria imagem, debater as suas próprias ideias e transmitir os seus próprios conteúdos de forma livre e independente.

Não é por acaso que tem sofrido represálias e ataques do imperialismo norte-americano.

Ainda recentemente o governo golpista da Bolívia retirou o sinal da TeleSur privando o povo Boliviano de ter acesso à informação, mostrando assim o seu caracter reaccionário.

Na Venezuela, o auto-proclamado e desacreditado Guaidó anunciou que ia tomar o controle da Telesur [era o que faltava …]

Boletim AAPC Jan.20