Um prémio ao altruísmo e a adesão aos princípios do internacionalismo proletário tornou-se a homenagem recebida pelos colaboradores cubanos com o desempenho mais destacado do ano que culmina, nas 11 missões sociais que acompanham o heroico povo venezuelano na sua resistência estoica ao ataque imperial

Autor: Jorge Pérez Cruz, especial para o Granma | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Dezembro 2019

Essa vanguarda recebeu o reconhecimento do Escritório de Atenção às Missões e são paradigmas dos mais de 22.000 de seus compatriotas que, inspirados nas relações históricas de fraternidade entre as duas nações, formaram uma frente unida em sectores-chave para o bem-estar das pessoas mais vulneráveis.

Os premiados prestaram homenagem a Simón Bolívar e ractificaram a decisão de Cuba, reiterada pelo primeiro secretário do Partido, general-de-exército Raúl Castro, e pelo presidente Miguel Díaz-Canel Bermúdez, de «que manteremos solidariedade e cooperação com a República Bolivariana da Venezuela e o seu governo legítimo sob a presidência de Nicolás Maduro Moros», uma disposição que, como nunca antes, confronta a agressão imperial.

Somente na saúde pública, neste ano, foram dadas mais de 74 milhões de consultas médicas; a Missão Milagrosa excede 50.000 operações oftalmológicas; e nos Centros de Diagnóstico Abrangentes, mais de 18.000 intervenções cirúrgicas foram feitas.

É uma pequena amostra de quanto o Acordo de Cooperação Integral Cuba-Venezuela, assinado por Fidel e Chávez em 30 de Outubro de 2000, fornece uma base programática de 1.446 projectos de colaboração, que trazem benefícios em áreas da produção agrícola-alimentar, desporto, cultura, energia e educação, entre outras.

O acto político-cultural teve lugar no mausoléu Quartel da Montanha 4F, e lá reafirmaram a lealdade ao comandante eterno Hugo Chávez Frías, demonstrando que a semente da complementaridade, plantada por suas ideias e as do invencível Comandante-em-chefe Fidel Castro, está a dar frutos na nação irmã.