por Fausto Triana Havana, 8 Jul (Prensa Latina)

 

Fora da pista, mas novamente nas treliças da actividade atlética, Ana Gabriela Guevara estava otimista sobre o desporto mexicano e realçou que o seu país tem o objetivo de estar entre os cinco primeiros dos Jogos Pan-Americanos em Lima, Peru.

Falando à Prensa Latina, pouco antes de partir para o México, disse que é sempre um prazer estar em Cuba, onde recorda belas memórias, como além de ser treinada pelo Antilhas Raul Barreda durante o seu tempo de atleta ativa. 



 

                        FotoPL: Jose (Tito) Merino

Actualmente directora da Comissão Nacional de Cultura Física e Desporto (Conade) do México, Guevara veio a Havana para assinar um acordo de cooperação com o presidente do Instituto Cubano de Desportos (Inder), Osvaldo Vento, e participou como convidada na entrega da bandeira da delegação da ilha que irá para a nomeação continental de Lima.

 

"A disputa pelas medalhas no Peru será dura e dura. Sabemos que os cubanos, como sempre, vão lutar para tentar recuperar o terceiro lugar (atrás dos Estados Unidos e do Canadá); O Brasil é uma potência e o nosso foco está na Colômbia, para tentar manter o México entre os cinco primeiros da tabela de medalhas ", disse ela. 

 

Imersa na política desde a sua retirada, com resultados bem sucedidos (senadora de seu estado natal de Sonora 2012-2018) - a ex-corredora de 400 e 800 metros recordou com particular afecto a sua eleição como Desportista Latino-Americana do Ano (2003) na pesquisa patrocinada pela Agência Prensa Latina.

 

"Viajar para Havana como vencedora da pesquisa da Prensa Latina foi uma tremenda alegria que me permitiu fortalecer ainda mais os meus laços com Cuba. Para mim sempre foi um prazer partilhar com os atletas cubanos a quem desejo muita sorte em Lima ", afirmou. 

A capital peruana sediará os Jogos Pan-Americanos de 26 de Julho a 10 de Agosto, com 6680 atletas de 41 nações competindo em 39 modalidades desportivas (com 61 modalidades).  Depois, os Para-Panamericanos que reunirão 1890 participantes em 17 disciplinas, de 23 de Agosto a 1 de Setembro. Em ambos os casos, o máximo dos anfitriões é conseguir encontros fraternos e alto nível qualitativo dos países da América.

O México terá uma delegação de 543 atletas. No entanto, é improvável que possa igualar o seu desempenho de há quatro anos em Toronto, Canadá, onde conquistou 95 medalhas, 22 delas em ouro. Cuba, por outro lado, participará com 420 atletas. 

 

No topo da Conade nomeada pelo Presidente do México, Andres Manuel Lopez Obrador, a ex-gazela do atletismo disse que, com esforço e trabalho, o seu país pode promover um desenvolvimento estável no desporto.