A primeira usina de produção de cimento de baixo carbono (LC3) de seu tipo no mundo, entrou em operação na Universidade Central «Marta Abreu» de Las Villas, momento em que marcou presença o comandante da Revolução Ramiro Valdés Menéndez, vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros.

Autor: Ángel Freddy Pérez Cabrera/Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Junho, 2019

 

A indústria será capaz de produzir entre oito e dez toneladas por dia. Foto: Freddy Pérez Cabrera

 

SANTA CLARA.— A primeira usina de produção de cimento de baixo carbono (LC3) de seu tipo no mundo, entrou em operação na Universidade Central «Marta Abreu» de Las Villas, momento em que marcou presença o comandante da Revolução Ramiro Valdés Menéndez, vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros.

Segundo o doutor em Ciências, José Fernando Martirena, director do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Estruturas e Materiais (Cidem) dessa alta casa de estudos, quando estiver em plena capacidade, essa indústria será capaz de produzir entre 8 e 10 toneladas por dia do produto acima mencionado.

Com o andamento, o programa de produção local de materiais para melhorar o problema da habitação no país é favorecido, asseverou Martirena, que detalhou que o trabalho é o resultado da cooperação suíça, o Projeto Habitat 2 e a Empresa Ipiac, bem como a colaboração do governo no território.

A pequena indústria, vai trabalhar continuamente com um turno duplo de trabalho de 12 horas cada e durante seis meses, com intervalo intermediário para manutenção e depois continuar a produção.

Com essa prática concretiza-se uma das indicações do presidente cubano, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, de conseguir uma interação cada vez mais próxima entre as universidades e os diferentes processos produtivos dos territórios.

Argelio Abad Vigoa, diretor da Empresa Geominera do Centro, entidade responsável pela operação da nova usina, explicou ao Granma Internacional que a matéria-prima para executar as produções é garantida, para o qual um estudo preliminar dos depósitos de argilas cauliníticas, carbonato de cálcio e gesso foi realizado; além de treinar a força de trabalho que lá irá trabalhar.

Em perspectiva, a execução de outras 20 usinas semelhantes em várias regiões do país foi anunciada, incluindo outra em Remédios, onde há matéria-prima suficiente para abastecer a nova indústria durante vários anos, explicou Abad Vigoa.

Junho, 2019