O Ministério dos Negócios Estrangeiros da República de Cuba rechaça energicamente a desrespeitosa declaração do Departamento de Estado dos Estados Unidos, proferida pelo Secretário de Estado Michael Pompeo, na qual se pretende pôr em causa o referendo constitucional livre e soberanamente celebrado pelos cubanos no passado dia 24 de Fevereiro.

O texto da declaração é a expressão do ideário imperialista profundamente enraizado na política exterior do actual governo dos Estados Unidos. É também reflexo da pretensão já anunciada de impor novamente no hemisfério ocidental a Doutrina Monroe, agora acompanhada pela intolerância Macartista.

O povo cubano falou alto e claro em 24 de Fevereiro, com contundente eloquência. Colocou-se livremente nas urnas pela construção do socialismo e fê-lo acorrendo massivamente para expressar a sua vontade, apesar da perniciosa campanha do governo dos Estados Unidos dirigida com vista a influir na votação. Há muito que nós, cubanos, rejeitamos toda e qualquer pretensão estado-unidense de reger os destinos do nosso país.

O Departamento de Estado deve terminar com a prática de imiscuir-se nos assuntos internos de outros Estados e de interferir nos processos eleitorais ou de votação das outras nações. Trata-se de una mania contrária ao Direito Internacional, com a qual o governo dos Estados Unidos desafia as normas que regem as relações entre Estados soberanos.

 

Havana, 26 de Fevereiro de 2019