Durante o encerramento da 19ª Reunião da Comissão Intergovernamental entre Cuba e Venezuela foi aprovado o Plano Anual de Cooperação 2019, composto por 22 projectos abrangendo 9 sectores

Autor: Gabriela Ávila Gómez | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Dezembro 2018

 

Foto: Enrique Milanés León

 

Nestes 18 anos do Acordo bilateral 220 mil colaboradores cubanos deram a sua contribuição na Venezuela. Na fotografia, pessoal da maior Ilhadas Antilhas apoia o Plano Nacional de Vacinação nessa nação sul-americana.

Vinte e quatro anos passaram desde aquela madrugada de Dezembro quando Fidel e Chávez foram protagonistas, em Havana, daquilo que hoje é conhecido como «o abraço», aquele abraço que seria o ponto de partida de uma amizade também inspirada nos pensamentos de José Martí e Simón Bolívar.

Isso ficou demonstrado na sexta-feira, 14 de Dezembro, durante o encerramento da 19ª Reunião da Comissão Intergovernamental entre Cuba e Venezuela, onde o Plano Anual de Cooperação 2019, composto por 22 projectos abrangendo 9 sectores, foi aprovado por ambas as partes.

Ricardo Cabrisas, vice-presidente do Conselho de Ministros de Cuba, reiterou a solidariedade total e incondicional do povo e do governo da Ilha com a Revolução Bolivariana, e denunciou as medidas unilaterais e de coerção que impedem a gestão da administração de Nicolás Maduro, a quem desejou sucessos no seu próximo mandato presidencial.

Cabrisas explicou que a reunião da sexta-feira foi precedida de um extenso trabalho preparatório para confirmar o plano de cooperação assinado nesse dia em Havana.

Cabrisas explicou que, do total de projectos, 90% do financiamento será destinado ao fortalecimento dos serviços de saúde e à produção de medicamentos; embora também seja dada atenção a outros sectores incluídos no Plano. Argumentou que na elaboração deste plano teve-se como ponto de partida a necessidade de orientar os projectos segundo objectivos de alta prioridade e a capacidade real das partes para executá-los de forma eficiente.

Ao referir-se aos resultados do ano passado, o vice-presidente do Conselho de Ministros afirmou que houve o cumprimento satisfatório dos projectos acordados, com especial impacto no campo da saúde, apesar da guerra económica travada pelo imperialismo dos EUA sobre a Venezuela e o reforço do bloqueio económico, financeiro e comercial imposto pelo mesmo império a Cuba.

Isso demonstra «a capacidade e a sustentabilidade do Acordo, diante das situações adversas impostas pelas condições supracitadas», argumentou.

O vice-presidente cubano disse que em 2019 continuar-se-á a trabalhar para fortalecer as relações bilaterais, partindo de iniciativas que foram identificadas como um todo e a percorrer o caminho que Fidel e Chávez planearam para alcançar o bem-estar dos povos da Nossa América.

Ao falar, a vice-presidente executiva da Venezuela, Delcy Rodríguez, disse que seu país será eternamente grato pela cooperação cubana e revelou que nestes 18 anos do acordo estiveram 220 mil colaboradores no seu país, «que se afastaram da família, para dar amor a meu povo».

Foto: José Manuel Correa

 

Durante a sessão foram assinados vários documentos. Nesse sentido, enfatizou que, enquanto o neofascismo, que se instala no Brasil, decidiu vedar o acesso à saúde de milhões de pessoas, na Venezuela, dizem «obrigado, queridos colaboradores, por exaltar a dignidade da América Latina e do Caribe».

Para a vice-presidente da nação sul-americana, o que foi assinado nessa sexta-feira, 14, é o conteúdo do trabalho comprometido de dois povos que se uniram no legado de José Martí e Simón Bolívar para serem livres.

O PLANO DE COOPERAÇÃO PARA 2019 É COMPOSTO POR 22 PROJETOS CORRESPONDENTES AOS SEGUINTES PROGRAMAS:

- serviços sanitários;

- fornecimento de medicamentos;

- suporte eléctrico;

- formação de talento humano;

- promoção do desport;

- promoção cultural;

- promoção agro-alimentar;

- serviços de apoio ao acordo.

A execução do mesmo estará a cargo de dez ministérios cubanos e de dez venezuelanos, e suas respectivas agências executoras.

FORAM ASSINADOS OS CONTRATOS PARA TRÊS DOS PROJECTOS INCLUÍDOS NO PLANO:

- Projecto para o Aprofundamento da Política Educacional, no marco do Segundo Plano Socialista 2013-2019 e a revolução do conhecimento, a ciência e a tecnologia, no Subsistema de Educação Básica Venezuelana.

- Projecto para a formação de técnicos, prestação e assessoria aos serviços técnicos de electromedicina na rede do Ministério do Poder Popular para a Saúde.

- Projecto Missão Barrio Dentro Desportivo.