Quase ninguém duvida que os roteiros da recente incursão na Venezuela e o atentado à Embaixada cubana em Washington foram elaborados pelo mesmo escritor

Autor: Manuel Valdés Cruz | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Maio, 2020

Photo: EFE

 Jordan Goudreau, Airan Barry e Luke Denman, estadunidenses profissionais da SilverCorp, envolvidos na falhada incursão contra a Venezuela.

 

Quase ninguém duvida que os planos da recente incursão na Venezuela e o atentado à Embaixada cubana em Washington têm a mesma procedência. A encenação, com o estilo de um filme de acção feito em Hollywood, provocaria o riso, se não fosse pela gravidade das possíveis consequências de acções deste tipo.

 

Acreditar que o mundo é um estúdio de cinema, mais a categoria mercenária dos participantes em ambos os fatos terroristas, e a subvalorização dos agredidos, levou o roteirista ao sonoro descalabro.

 

Na invasão mercenária à Venezuela, os argumentos que deu o Governo dos EUA — se pudessem ser chamados desse modo — não são nada credíveis, devido aos antecedentes históricos da política e da conduta actual dessa administração, relativamente à terra de Bolívar.

Em 22 de Maio retornaram à Ilha mais de cem cubanos que permaneciam nos EUA

Foto: Ricardo López Hevia

 

Os viajantes vão cumprir, rigorosamente, o protocolo sanitário de 14 dias de isolamento preventivo. 

Ainda que as circunstâncias sejam bem difíceis, Cuba não deixa desamparado nenhum dos seus filhos. Este tem sido um principio da nossa Revolução e continua vigente, inclusive em tempos da pandemia da Covid-19, quando vários países fecharam as suas fronteiras e reduziram ao mínimo o transporte aéreo.

O titular da Saúde Pública de Cuba, José Angel Portal Miranda, interveio na reunião de ministros da Saúde, do Grupo de Contacto do Movimento dos Países Não-Alinhados (Mnoal), em resposta à Covid-19

Autor: Enrique Moreno Gimeranez | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Maio, 2020

 

«Nada vai impedir que o meu país continue a praticar a solidariedade que há mais de 60 anos define nossa Revolução; não o vai fazer o acirramento do genocida bloqueio económico, comercial e financeiro que nos impôs o Governo dos Estados unidos e ainda menos seus ataques à cooperação internacional que Cuba oferece», afirmou em 20 de maio o titular da Saúde Pública de Cuba, José Angel Portal Miranda, ao intervir na reunião de ministros da Saúde, do Grupo de contacto do Movimento dos Países Não-Alinhados (Mnoal), em resposta à Covid-19.

707

Sentimos grandes emoções hoje na cidade italiana de Crema durante o evento organizado por suas autoridades para agradecer a ajuda prestada pelos colaboradores de saúde cubanos contra o Covid-19.

A Piazza del Duomo central foi palco do tributo prestado aos 52 membros da brigada médica, que cumpriram a nobre missão juntamente com seus colegas italianos durante dois meses.

Mais de vinte organizações europeias apoiam proposta de entregar Prémio Nobel da Paz às brigadas médicas cubanas

Autor: Milagros Pichardo | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Maio, 2020

Foto: Endrys Correa Vaillant

 

Mais de vinte organizações europeias apoiam proposta de entregar Prémio Nobel da Paz às brigadas médicas cubanas do Contingente Henry Reeve, por sua contribuição ao confronto global à Covid-19.

Lançada em 28 de Abril pelas associações Cuba Linda e França-Cuba, até este momento a iniciativa recebeu o apoio de grupos de solidariedade, forças políticas e sindicatos da França, Espanha, Irlanda e Itália e por volta de um milhar de internautas na página do Facebook Prix Nobel de La paix pour lês brigades médicales cubaines Henry Reeve.