Caros companheiros, estimados convidados.

A Associação de Amizade Portugal Cuba, no momento em que celebramos o 60º Aniversário do Triunfo da Revolução, saúda todos os presentes que assim quiseram manifestar o seu reconhecimento ao Povo Cubano e à sua Revolução, processo inspirador para todos quantos lutam por um mundo mais justo e solidário.

60 anos foram vencidos, repletos de dificuldades e que só a elevada consciência política, a capacidade de resistir e o amor à sua Pátria soberana, tornaram possível alcançar esta vitória.

Julio Antonio Mella Mac Partland (1903/1929) foi uma das figuras mais importantes do movimento revolucionário cubano durante a república neocolonial. Em 1923 foi Presidente do Primeiro Congresso Nacional de Estudantes. Nesse mesmo ano fundou a Universidade José Marti. Em 1924 criou a Liga Anticlerical e em 1925 a secção cubana da Liga Anti-imperialista das Américas. Ainda em 1924, ingressou no Agrupamento Comunista de Havana. Em 1925 foi um dos fundadores do primeiro partido marxista-leninista de Cuba. Em 1926 foi expulso da Universidade devido às suas actividades revolucionárias, ocasião em que fez uma célebre greve de fome. Após este facto exilou-se no México e fundou a Associação de Novos Emigrantes Revolucionários Cubanos (ANERC). Em 1927 participou como delegado do IV Congresso da Internacional Sindical Vermelha na União Soviética. Foi assassinado no México em 10 de Janeiro de 1929.

Julio Antonio Mella. Foto: Tina Modotti

Por: Thalia Fuentes Puebla , Leysi Rubio A.
10 de Janeiro de 2019

 

“Quem mais fez em menos tempo”, foi assim que Fidel definiu Júlio Antonio Mella num diálogo com os líderes estudantis universitários.

O seu coração pertencia a Cuba. O seu amor, no entanto, abriu espaço para Tina Modotti, uma defensora italiana da liberdade e da justiça. Ambos encontraram no outro o espaço para fundir ideia e paixão; fazer uma revolução do tempo breve (quatro meses) em que eles estavam juntos. Era o ano de 1928.
A última imagem do seu rosto foi tirada por Tina. Lindo mesmo depois de tudo, revela a paz no seu rosto. O hino de Cuba ressoaria fortemente a 10 de Janeiro de 1929 em algum lugar do mundo, “.. Que morrer pela pátria é viver".

Cubadebate oferece um resumo da vida deste extraordinário herói revolucionário e paradigma do corpo discente universitário cubano.


Dez factos curiosos sobre Mella

⦁ Filho de união extraconjugal entre Cecilia Magdalena Mac Portland e Nicanor Mella Brea, importante alfaiate da capital cubana.
⦁ Foi registado com o nome de Nicanor Mac Portland, visto que, como filho ilegítimo, era impossível para o pai registá-lo.
⦁ O seu avô paterno era Matías Ramón Mella, herói da independência do povo dominicano.
⦁ Em 1915, viaja para Nova Orleães, EUA, e alista-se no Exército alegando uma idade falsa. O pai envia a certidão de nascimento pela embaixada. Ele é expulso do exército e retorna a Cuba.
⦁ Foi aluno na Academia Newton, em Cuba, do poeta mexicano Salvador Díaz Mirón.
⦁ Em Abril de 1920, viajou para o México com o objectivo de ingressar na Escola Militar de San Jacinto, como o seu avô paterno.
⦁ Obtém o título de Bacharelato no Segundo Instituto de Ensino Ensañanza de Pinar del Río.
⦁ Nos seus artigos, usou os pseudónimos de Cuauhtémoc Zapata, Kim (El Machete) e Lord Mac Portland.
⦁ Quando foi assassinado, estava a preparar a expedição que o levaria do México a Cuba para se juntar à luta.
⦁ Era conhecido entre as mulheres como "O Tigre" pelo seu aspecto viril.


10.Jan.2019

A AAPC recorda hoje a libertação e regresso a Cuba de António, Gerardo e Ramón, os últimos dos 5 Heróis Cubanos condenados pela justiça norte-americana.

17.12.2014