Discurso proferido pelo presidente da República de Cuba, Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez, na Cimeira Virtual do Movimento dos Países Não-Alinhados «Unidos contra a Covid-19», no formato do Grupo de Contato, no dia 4 de Maio de 2020, «Ano 62º da Revolução»

Autor: Miguel Díaz-Canel Bermúdez | Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Maio, 2020

 

Cuba não vai abrir mão da sua vocação solidária, embora o governo dos Estados Unidos, por razões políticas, continue a atacar e obstaculizando a cooperação internacional que o nosso país oferece.

 

Palavras de Diaz Canel no discurso dirigido aos representantes na Cimeira dos países não alinhados.

No início do seu discurso, Diaz Canel, denunciou o ataque terrorista perpetrado contra a embaixada do seu país em Washington no passado dia 30 de Abril.

Salientou a importância da acção dos Não Alinhados na actual fase de combate à pandemia do Covi 19 ao promover a unidade global a solidariedade e a cooperação internacional acentuando a necessidade de se porem de parte as diferenças politicas e serem eliminadas as medidas coercivas e unilaterais contra estados soberanos.

O ministro das Relações Exteriores, Bruno Rodriguez Parrilla, denunciou na quinta-feira, 30 de abril, que a embaixada de Cuba nos Estados Unidos foi alvo de um acto terrorista na madrugada do dia 30 de abril de 2020, quando um sujeito desconhecido disparou com uma espingarda de assalto contra o edifício da missão diplomática da Ilha maior das Antilhas

 

O Governo de Cuba está à espera da investigação correspondente por parte das autoridades estadunidenses acerca da identidade e as motivações do autor desta agressão.

 

Em declarações transmitidas pela Televisão Cubana, o ministro explicou que não houve feridos no pessoal da Missão cubana, o qual se encontra seguro e protegido, mas sim danos materiais resultantes dos impactos de inúmeros disparos.

O ministro informou que Cuba exigiu que a administração Norte Americana proceda a uma rigorosa investigação deste atentado.

O ministro Bruno Rodriguez Parrilla, salientou não é possível dissociar este acontecimento do recrudescimento da política de agressão e hostilidade que o governo dos EUA aplica contra a Ilha maior das Antilhas, nem do endurecimento do bloqueio, com medidas não convencionais, inclusive durante a pandemia da Covid-19.

(dados recolhidos do jornal Granma)

Há 44 anos uma violenta explosão na Embaixada de Cuba em Lisboa causou a morte de dois funcionários cubanos, a Adriana Corcho e o Efren Monteagudo.

 

Tudo indica que o objectivo dos terroristas era fazer coincidir o atentado com a chegada dos filhos dos funcionários que normalmente chegavam às instalações diplomáticas pouco depois das 16 horas, com o objetivo de também sacrificar as crianças.

 

Este foi mais um dos mais de 500 atentados contra bens e instalações cubanas no interior e exterior do país .O povo cubano e todos aqueles que são solidários com a revolução cubana e com os seus valores humanistas honram a memória dos seus mártires e assinalam esta data recordando Adriana e Efren!

Cuba vencerá!

Um jornal estatal chinês pede ao governo dos Estados Unidos que esclareça as atividades de seu laboratório biológico, que foi fechado pouco antes do surto de COVID-19.

"Há uma grande incerteza sobre as atividades do Laboratório Microbiano do Exército dos EUA. (Fort Detrick) em relação à disseminação do coronavírus, apelidado de COVID-19, que levou as pessoas a pedir esclarecimentos sobre as suas atividades ", escreveu o jornal oficial do Partido Comunista da China (PCC), no sábado.

Segundo a publicação, existe alguma inquietação quanto às investigações realizadas pelo laboratório mencionado no novo coronavírus e acredita-se que o vazamento do surto tenha ocorrido nessas unidades.

Da mesma forma, ele acentua que em 10 de março foi lançada uma petição no site da Casa Branca, pedindo ao governo dos Estados Unidos que revelasse a verdadeira razão por trás do encerramento de Fort Detrick e esclarecesse se o laboratório em questão era a unidade de investigação do novo coronavírus.