Faz hoje, 19 de Maio de 2018, 123 anos que José Martí ao comando de um pequeno contingente de patriotas cubanos, após um encontro com tropas espanholas nas proximidades de Dos Ríos, foi atingido pelo fogo inimigo, tendo acabado por falecer.

O seu corpo, mutilado pelos soldados espanhóis, foi exibido perante a população e posteriormente sepultado na cidade de Santiago de Cuba, em 27 de maio do mesmo ano.

José Julián Martí foi um político, intelectual, jornalista, filósofo e poeta cubano, criador do Partido Revolucionário Cubano (PRC) que dedicou a sua vida à escrita, à acção política na luta pela independência de Cuba da colonização espanhola e pela construção de uma unidade latino-americana, tendo sido o grande mártir da Independência de Cuba em relação à Espanha.

O seu pensamento ultrapassou as fronteiras de sua Cuba natal para adquirir um carácter universal. 

A Associação de Amizade Portugal-Cuba invoca a vida e obra deste revolucionário, conhecido em Cuba como «El apóstol», que foi inspirador do programa de Moncada, defendido por Fidel.

 

 

 

 

Basta de crimes! Não à provocação de Trump!
Liberdade para a Palestina!
Paz no Médio Oriente!

15 de Maio de 2018 » 70 anos após o inicio da Nakba (que em árabe quer dizer Catástrofe) que se abateu sobre o Povo Palestino, perseguido, massacrado e expulso da sua terra pelos novos ocupantes judeus....

A Associação de Amizade Portugal Cuba, uma das organizações promotoras, apela a todos os seus sócios, amigos e a todos em geral, que participem nesta concentração que se vai realizr no próximo dia 14 de Maio, pelas 18:00h, no Largo Camões em Lisboa.

No 70.º aniversário da Nakba, vamos:

- condenar a política de colonização, limpeza étnica, ocupação e repressão, praticada por Israel contra o povo palestino desde há 70 anos;

- exigir a paz no Médio Oriente, pondo fim às catástrofes geradas pelas guerras deste último quarto de século;

- protestar contra o reconhecimento pelos Estados Unidos de Jerusalém como capital de Israel e a transferência para aí da sua embaixada;

- reclamar do Governo Português que, nos fóruns em que participa, defenda o direito internacional e as resoluções da ONU respeitantes à Palestina e que reconheça formalmente o Estado da Palestina com capital em Jerusalém Oriental.

- manifestar a nossa solidariedade com a justa luta do povo palestino pelos seus inalienáveis direitos nacionais, pela edificação do Estado da Palestina livre, independente, soberano e viável nas fronteiras anteriores a 1967, com capital em Jerusalém Oriental, e uma solução justa para a situação dos refugiados palestinos, nos termos do direito internacional e das resoluções pertinentes das Nações Unidas.

22 de Abril de 1976 - Atentado contra a Embaixada de Cuba em Lisboa

 
Hoje, 22 de Abril de 2018, cumprem-se 42 anos do ataque bombista que destruiu as instalações da Embaixada de Cuba, então situada no centro da cidade, no quinto andar do prédio da Avenida Fontes Pereira de Melo, no 19, causando a morte de dois diplomatas cubanos: Adriana Corcho de 36 anos e Efrén Monteagudo de 33 anos.

Uma pasta foi colocada à saída do elevador principal. No seu interior havia uma bomba, com mais de seis quilos de TNT.

Às 16h45 acontece a explosão, que destruiu totalmente o piso.

Adriana e Efrén, ao tentarem que os seus companheiros passassem para locais mais seguros, perderam a vida.

A Associação de Amizade Portugal Cuba recorda com pesar a perda destes dois jovens diplomatas cubanos que se dedicaram a fortalecer as relações entre os povos de Cuba e Portugal.

A Direcção
 
 
 
 

 

A convite da Embaixada de Cuba em Portugal, a AAPC marcou presença na evocação de Adriana Corcho e Efrén Monteagudo.

A Direcção Nacional esteve representada por Pedro Noronha e Tânia Gabriel.

 

Exmo Senhor Provedor do telespectador da RTP

No noticiário das 20h da RTP de 18 de Abril, o sr. José Rodrigues dos Santos, refere-se à eleição do Chefe de Estado de Cuba, dizendo “ Cuba prepara eleição do novo ditador” expressão que repetiu talvez por a considerar espirituosa.

O sr. Santos encontrava-se no Telejornal onde lhe cabe dar notícias e não opiniões.

Ora a RTP é uma estação pública, paga por todos nós.

O Estado português e Cuba são estados amigos existindo boas e profícuas relações entre os respectivos governos em benefício de ambos os povos.

É indigna e imprópria de um jornalista ao serviço de uma empresa pública a expressão utilizada pelo sr. Santos que indicia insensibilidade politica e falta de profissionalismo.

Cuba tem o sistema político que o seu povo escolheu ter, justificado pela sua História.
Os candidatos a deputados são indicados pela população e eleitos em votações livres.

O sistema político cubano é o escolhido pelo seu povo que venceu o colonizador espanhol, que sobrevive a um bloqueio económico criminoso que dura há quase 60 anos, que sofreu atentados terroristas, que derrotou há 57 anos uma invasão mercenária patrocinada e assumida pelos EUA.

Haja respeito pela vontade soberana do seu Povo!

Atento ao exposto, solicitamos a V. Exa que se digne intervir no sentido que esta lamentável falta de profissionalismo não se repita.

Com os nossos melhores cumprimentos,

A Direcção da

Associação de Amizade Portugal Cuba