A RTP, sempre cumpridora da estratégia do pensamento único, na passada terça-feira dia 16, presenteou o povo português com mais um documentário “Os Príncipes do Nada” onde foi retratada, noticiada, a tragédia dos povos da Síria e da Republica Bolivariana da Venezuela.

Que a situação naqueles países, que lutam heroicamente em defesa da sua soberania, não é fácil todos nós o sabemos e obviamente não está em causa o terrível sofrimento daqueles povos. O que não se pode, em abono do rigor e da seriedade, é retractar essas confrangedoras realidades sem denunciar as suas causas e assim sendo, aquilo a que assistimos foi a uma manipulação informativa.

No caso da Venezuela, sujeita a um bloqueio implacável que dura há anos e se intensifica a cada dia, movido pelo imperialismo de que Trump é fiel executor, a Venezuela Bolivariana e o seu povo resistem apesar do apoio com que os falcões contam de muita gente que ”transpira Democracia” e dão aval, à tentativa de asfixia da Revolução Bolivariana.

A cínica compaixão pelo povo venezuelano, de quem desavergonhadamente dá corpo a esta ofensiva genocida, é chocante.

Estes arautos da desgraça são verdadeiros cúmplices do terrorismo praticado na pátria de Bolivar, do assalto aos bens do povo venezuelano como é o caso da apropriação de milhões de euros pelo Novo Banco com a anuência do governo de Portugal que por sua vez dá cobertura a um fantoche como Guaidó, ao reconhecê-lo como presidente da República de uma nação em que até os seus acólitos desprezam.

As dificuldades do povo venezuelano advêm precisamente do boicote que lhes é movido e que a Europa e o governo de Portugal apoia: o  assalto às contas bancárias, roubo de empresas, como aconteceu com a petrolífera venezuelana nos EUA, boicote à aquisição de medicamentos, de alimentos e de outros bens de primeiríssima necessidade

A realidade de hoje na Venezuela não é a que nos foi apresentada pelo manipulador documentário.

Venezuelanos de regresso à sua Pátria

 

Hoje o que se verifica é o regresso à sua pátria mais de 60 mil venezuelanos em fuga ao ostracismo a que foram sujeitos na Colômbia, devido ao desemprego e à fome e por essas razões regressam à sua Pátria, a Venezuela, onde são recebidos na fronteira por equipas médicas onde é analisado o seu estado de saúde, feita a despistagem do Covid-19,ficam em quarentena e depois são transportadas, gratuitamente, para as sua localidades de origem.

A Venezuela é um país riquíssimo em matérias primas. Tem capacidade abundante para dar a felicidade ao seu povo.

Deixem a Venezuela em Paz!