Imprimir
Categoria: Notícias da AAPC

Nasceu em Setembro de 1929, em Santiago de Cuba, tendo-se incorporado nas lutas estudantis na Universidade de Oriente, onde se graduou em pedagogia e fez amizade com Vilma Espin.

Em Março de 1952, data do golpe fascista liderado por Fulgêncio Baptista, foi presa junto com outras companheiras que participaram na distribuição de folhetos revolucionários.

Colaborou no apoio aos sobreviventes do ataque ao Quartel Moncada e trabalhou sob a orientação de Frank Pais no núcleo inicial do Movimento 26 de Julho, participando mais tarde no levantamento de 30 de Novembro, em Santiago de Cuba.

Prestou apoio acompanhando os companheiros que constituíram o primeiro reforço dos combatentes na Sierra Maestra, ajudando também no transporte para a Sierra de armas destinadas à luta revolucionária, adquiridas nos EUA levadas para Cuba, ocultadas debaixo da roupa de Asela e de outras apoiantes da luta.

Em Agosto de 1958 incorporou-se no Exército Rebelde na 2ª Frente Oriental Frank Pais, então comandada por Raúl Castro tendo sido nomeada responsável pelo Departamento de Educação, participando na criação de mais 400 escolas para crianças e outras destinadas à alfabetização de combatentes.

Após o triunfo da revolução, trabalhou com Vilma Espin na fundação da Federação das Mulheres Cubanas, onde chegou a exercer funções de secretária geral.

Adela foi Ministra da Educação, fundadora do Partido Comunista de Cuba, membro do respectivo Comité Central e integrou a direcção da Associação de Combatentes da Revolução Cubana.

Asela é um exemplo de modéstia e firmeza, compromisso com a justiça social e lealdade a Fidel, a Raúl e à revolução.

Falecida em 23/01/20, as suas cinzas encontram-se no Mausoléu da 2ª frente Oriental Frank Pais, na província de Santiago de Cuba.

Boletim AAPC Jan. 2020