O bloqueio económico, comercial e financeiro imposto a Cuba pelos Estados Unidos da América é criminoso, ilegal e ilegítimo.

 Imposto há mais de 60 anos e por diversas vezes agravado, o bloqueio procura atingir directamente as condições de vida do povo cubano e direitos tão fundamentais como a saúde, a alimentação ou o desenvolvimento.

 Só entre Abril e Dezembro de 2020, o bloqueio provocou à economia cubana prejuízos superiores a 3,5 mil milhões de dólares e, em plena pandemia, dificultou o acesso do povo cubano a medicamentos e equipamentos médicos e obrigou Cuba a comprar equipamentos e reagentes para a produção das suas próprias vacinas contra a COVID-19 a preços muito superiores aos praticados internacionalmente.

O Bloqueio genocida imposto pelos Estados Unidos desde o início da Revolução, que foi drasticamente agravado no passado mandato de Trump e mantido por Biden, provocou uma grande escassez de medicamentos, facto ainda mais grave no quadro da pandemia que, entretanto, se agravou em grande parte da Ilha Socialista.