Imprimir

EUA vão incluir Cuba na lista de países que não cooperam na luta contra o terrorismo.

Não podemos dizer que a notícia cause estranheza, mas que constitui imensa desfaçatez é óbvio. Mas que lista é esta e qual a instituição credível e idónea que a publica?

Uma administração que alimenta focos de tensão a nível planetário, fornece equipamento e treino militar a grupos terroristas como é o caso do Daesh, ocupa países soberanos como é o caso do Iraque e da Síria, apoia o terrorismo na Venezuela como ainda recentemente se comprovou com a tentativa da invasão mercenária para derrubar um governo legitimamente eleito fala de combate ao terrorismo?

Quem não servir os seus interesses usurpadores, aplica sanções unilaterais, não respeita o direito internacional, apodera-se de fundos de estados soberanos que se encontram em bancos americanos, incrementa um bloqueio genocida contra o povo cubano, e semeia o ódio entre as nações. O Imperialismo é maléfico, é criminoso.

Os argumentos do presidente Trump são bem conhecidos dos povos que lutam pela sua soberania.

Um caça americano F-18 decola do USS DWIGT D Eisenhower para executar missões na Síria

É claro que sabemos que o conceito de terrorismo para os EUA do Sr. Trump não é o mesmo conceito dos combatentes pela Paz. Só é estranho, ou talvez não, que receba o apoio de muitos na Europa que hipocritamente empunham a bandeira da democracia.

Os EUA representam na actualidade o maior perigo à paz mundial tal é o seu envolvimento em conflitos de toda a ordem a nível planetário. Onde há guerra declarada lá estão os Yankees, e quando a guerra não é declarada são as ameaças, as sanções e a chantagem politica.

Os EUA provocam a guerra, Cuba apoia a vida e a saúde dos povos.

É bom que ninguém se esqueça disto!

Maio, 2020